Validação do conhecimento quotidiano: moderadores e consequências da norma da heterogeneidade

Validação do conhecimento quotidiano: moderadores e consequências da norma da heterogeneidade

As pessoas criam e partilham crenças através das quais atribuem significado ao mundo que as rodeia. Mas a sua preocupação não reside apenas na criação de um mundo significante. A preocupação com a validade das crenças é um aspecto fundamental da epistemologia popular.

Neste contexto, este projecto parte da seguinte pergunta: Que tipo de pistas informativas são utilizadas no processo de atribuição de validade ao conhecimento que possuímos, ou a novos conhecimentos obtidos através da interacção social? Na sequência de Festinger, a Psicologia Social tem salientado o papel do consenso na validação do conhecimento quotidiano. Em trabalhos anteriores, e seguindo outros autores, analisámos experimentalmente a hipótese de que a heterogeneidade dos que partilham um dado conhecimento é fundamental na sua validação (Vala et al., 1998; Lopes, Vala e Garcia-Marques, 2007). Estudos subsequentes mostraram que não só utilizamos a heterogeneidade como indicador de validade, como entendemos que ela reveste uma dimensão normativa (Lopes, 2007). No presente projecto, pretendemos avançar no conhecimento da heterogeneidade na validação do conhecimento, analisando os seus moderadores e o seu impacto na validação do preconceito.

Desenvolvimentos em curso deste mesmo projecto analisam os factores mediadores do efeito da percepção de heterogeneidade na validação de conhecimento e analisam este processo no âmbito da validação dos conhecimentos no campo político. 

O projecto é financiado pela FCT.

Estatuto: 
Entidade participante
Financiado: 
Sim
Keywords: 

Validação do conhecimento quotidiano, heterogeneidade, consenso, legitimação

As pessoas criam e partilham crenças através das quais atribuem significado ao mundo que as rodeia. Mas a sua preocupação não reside apenas na criação de um mundo significante. A preocupação com a validade das crenças é um aspecto fundamental da epistemologia popular.

Neste contexto, este projecto parte da seguinte pergunta: Que tipo de pistas informativas são utilizadas no processo de atribuição de validade ao conhecimento que possuímos, ou a novos conhecimentos obtidos através da interacção social? Na sequência de Festinger, a Psicologia Social tem salientado o papel do consenso na validação do conhecimento quotidiano. Em trabalhos anteriores, e seguindo outros autores, analisámos experimentalmente a hipótese de que a heterogeneidade dos que partilham um dado conhecimento é fundamental na sua validação (Vala et al., 1998; Lopes, Vala e Garcia-Marques, 2007). Estudos subsequentes mostraram que não só utilizamos a heterogeneidade como indicador de validade, como entendemos que ela reveste uma dimensão normativa (Lopes, 2007). No presente projecto, pretendemos avançar no conhecimento da heterogeneidade na validação do conhecimento, analisando os seus moderadores e o seu impacto na validação do preconceito.

Desenvolvimentos em curso deste mesmo projecto analisam os factores mediadores do efeito da percepção de heterogeneidade na validação de conhecimento e analisam este processo no âmbito da validação dos conhecimentos no campo político. 

O projecto é financiado pela FCT.

Objectivos: 
<p>Este projecto tem como objectivo clarificar os processos que contribuem para a validação do conhecimento quotidiano. Investigações anteriores focaram a validação do conhecimento quotidiano em contextos assimétricos, assumindo que o conhecimento é validado por fontes investidas de poder. A análise da validação do conhecimento quotidiano, em contextos simétricos, incidiu principalmente sobre o consenso. Esta pesquisa é realizada na âmbito da hipótese de que a percepção de heterogeneidade é uma informação importante para a validação do conhecimento, hipótese que recebeu apoio em pesquisas experimentais anteriormente realizadas. O objectivo da presente pesquisa é ir mais além através do estudo dos moderadores do papel da heterogeneidade e da sua função na validação do preconceito contra grupos discriminados.</p>
Diniz Lopes
Jacques-Philipe Leyens
Leonel Garcia-Marques
Dominique Oberlé
Ewa Drozda-Senkowska
Coordenador 
Data Inicio: 
01/12/2004
Data Fim: 
01/12/2009
Duração: 
60 meses
Concluído