Transnational child-raising arrangements between Africa and Europe

Transnational child-raising arrangements between Africa and Europe

A migração do Sul global para o Norte global está em crescimento, apesar das políticas migratórias restritivas no norte tornarem difícil para as famílias se movimentarem em conjunto. Isso faz com que as famílias vivam fisicamente separadas utilizando as suas redes locais e transnacionais para encontrar ou adaptarem novas formas para criar as suas crianças.

A pouca informação que existe sobre as formas de criar crianças transnacionais baseia-se em evidências parciais ou de pequena escala que indicam que existem consequências negativas para o desenvolvimento das crianças, bem como custos emocionais para elas assim como para os pais.

 Estes aspectos negativos podem ser compensados pelos efeitos positivos das remessas que constituem o foco da literatura e dos debates sobre migração e desenvolvimento.

Apesar de estas práticas estarem disseminadas entre África e Europa, elas ainda não foram estudadas de forma aprofundada.

As principais perguntas de investigação são:

- Como é que os cuidados transnacionais às crianças afectam as oportunidades de vida daquelas que permanecem no país de origem, dos seus pais migrantes e dos seus prestadores de cuidados entre África e Europa?

- Como é que os cuidados transnacionais às crianças são afectados pelas leis migratórias e pelas regras de guardas de crianças em África e como é que as escolas nos países africanos são afectadas pelos cuidados transnacionais às crianças?

- Como é que os diferentes contextos dos países de origem e de recepção afectam o funcionamento e as repercussões que os cuidados transnacionais às crianças têm nos diferentes actores?

Estatuto: 
Entidade proponente
Financiado: 
Não
Entidades: 
NORFACE ERA-net
Rede: 
(TCRAf-Eu) Effects of transnational child-raising arrangements on life-chances of children, migrant parents and caregivers between Africa and Europe
Keywords: 

Famílias Transnacionais; Cuidados às Crianças; Migrações

A migração do Sul global para o Norte global está em crescimento, apesar das políticas migratórias restritivas no norte tornarem difícil para as famílias se movimentarem em conjunto. Isso faz com que as famílias vivam fisicamente separadas utilizando as suas redes locais e transnacionais para encontrar ou adaptarem novas formas para criar as suas crianças.

A pouca informação que existe sobre as formas de criar crianças transnacionais baseia-se em evidências parciais ou de pequena escala que indicam que existem consequências negativas para o desenvolvimento das crianças, bem como custos emocionais para elas assim como para os pais.

 Estes aspectos negativos podem ser compensados pelos efeitos positivos das remessas que constituem o foco da literatura e dos debates sobre migração e desenvolvimento.

Apesar de estas práticas estarem disseminadas entre África e Europa, elas ainda não foram estudadas de forma aprofundada.

As principais perguntas de investigação são:

- Como é que os cuidados transnacionais às crianças afectam as oportunidades de vida daquelas que permanecem no país de origem, dos seus pais migrantes e dos seus prestadores de cuidados entre África e Europa?

- Como é que os cuidados transnacionais às crianças são afectados pelas leis migratórias e pelas regras de guardas de crianças em África e como é que as escolas nos países africanos são afectadas pelos cuidados transnacionais às crianças?

- Como é que os diferentes contextos dos países de origem e de recepção afectam o funcionamento e as repercussões que os cuidados transnacionais às crianças têm nos diferentes actores?

Objectivos: 
<p>.</p>
Parceria: 
Rede Internacional
Luena Marinho
Jeanne Vivet
Coordenador 
Data Inicio: 
01/01/2010
Data Fim: 
01/12/2013
Duração: 
47 meses
Concluído