Empregabilidade e Ensino Superior em Portugal

Empregabilidade e Ensino Superior em Portugal

A empregabilidade é um conceito de utilização recente, que entrou na gíria comunicativa como consequência da adopção dos procedimentos de reforma e reorganização do espaço europeu do ensino superior. A empregabilidade designa a qualidade ou possibilidade de se ter um emprego. O seu acréscimo ou melhoria constitui um dos objectivos primordiais apontados pelo Processo de Bolonha. Neste sentido, o conjunto do sistema de ensino superior (universitário e politécnico, público e privado), deverá ser sujeito à verificação dos seus resultados através do modo como os graduados e diplomados obtêm ou consolidam uma posição no mercado de trabalho. A ênfase colocada neste objectivo visa assinalar que, para além de proporcionar uma formação cívica e humana de carácter global, o ensino superior destina-se a formar profissionais qualificados e bem preparados para enfrentar os desafios e adversidades do mercado de trabalho. Mas também é necessário ter presente que as competências adquiridas pelos diplomados que concluíram um determinado ciclo de estudos só estarão plenamente cumpridas quando tais diplomados concretizarem a sua aprendizagem através da prestação de um serviço de trabalho, o que nem sempre está ao seu alcance imediato.

Cinco anos após a generalização da adopção do Processo de Bolonha no sistema de ensino superior em Portugal, importa saber se tal objectivo primordial da realização da empregabilidade tem sido alcançado. Para isso, é fundamental responder a algumas perguntas, para as quais não dispomos ainda de elementos suficientes de resposta.

 

Estatuto: 
Entidade proponente
Financiado: 
Sim
Entidades: 
Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior
Keywords: 

Empregabilidade;

Ensino superior;

Mercado de trabalho;

Processo Bolonha

A empregabilidade é um conceito de utilização recente, que entrou na gíria comunicativa como consequência da adopção dos procedimentos de reforma e reorganização do espaço europeu do ensino superior. A empregabilidade designa a qualidade ou possibilidade de se ter um emprego. O seu acréscimo ou melhoria constitui um dos objectivos primordiais apontados pelo Processo de Bolonha. Neste sentido, o conjunto do sistema de ensino superior (universitário e politécnico, público e privado), deverá ser sujeito à verificação dos seus resultados através do modo como os graduados e diplomados obtêm ou consolidam uma posição no mercado de trabalho. A ênfase colocada neste objectivo visa assinalar que, para além de proporcionar uma formação cívica e humana de carácter global, o ensino superior destina-se a formar profissionais qualificados e bem preparados para enfrentar os desafios e adversidades do mercado de trabalho. Mas também é necessário ter presente que as competências adquiridas pelos diplomados que concluíram um determinado ciclo de estudos só estarão plenamente cumpridas quando tais diplomados concretizarem a sua aprendizagem através da prestação de um serviço de trabalho, o que nem sempre está ao seu alcance imediato.

Cinco anos após a generalização da adopção do Processo de Bolonha no sistema de ensino superior em Portugal, importa saber se tal objectivo primordial da realização da empregabilidade tem sido alcançado. Para isso, é fundamental responder a algumas perguntas, para as quais não dispomos ainda de elementos suficientes de resposta.

 

Objectivos: 
O presente  projecto visa responder às seguintes questões: <p>a) Quais são as implicações do Processo de Bolonha na evolução do número de diplomados em cada ciclo de estudos (licenciatura, mestrado integrado, mestrado e doutoramento) e em cada um dos sub-sistemas de ensino (universitário e politécnico, público e privado)? </p><p>b) Quais são as áreas de formação e os sectores de actividade que têm sido mais afectados, positiva e negativamente, pela entrada em vigor dos novos modelos de ciclos de estudos?</p><p>c) Quais são as consequências resultantes da diminuição da duração dos cursos de 1º ciclo, na generalidade das áreas científicas? </p><p> </p>
State of the art: 
&nbsp; <p>As respostas a estas e muitas outras quest&otilde;es t&ecirc;m vindo a ser esbo&ccedil;adas e desenvolvidas em diversos estudos dedicados aos problemas da empregabilidade em Portugal. Mas continua a prevalecer forte ru&iacute;do na opini&atilde;o p&uacute;blica, sempre mais receptiva a abordagens intuitivas e preconceituosas que n&atilde;o resultam de uma rigorosa an&aacute;lise quantitativa e qualitativa da realidade. Por tal raz&atilde;o, julgamos essencial realizar um estudo sistem&aacute;tico que permita complementar e prolongar os resultados de outros trabalhos pontuais e sectoriais, com vista &agrave; forma&ccedil;&atilde;o de um conhecimento aprofundado da situa&ccedil;&atilde;o da empregabilidade dos diplomados do ensino superior em Portugal. </p><p>Atrav&eacute;s de tal estudo esperamos contribuir para o esclarecimento de algumas quest&otilde;es que peritos nacionais e internacionais t&ecirc;m vindo a destacar a prop&oacute;sito do emprego de diplomados. </p>
Parceria: 
Não Integrado
Paulo Madruga
Vitor Escária
Coordenador 
Data Inicio: 
01/10/2011
Data Fim: 
31/12/2013
Duração: 
9 meses
Concluído