A Qualidade da Democracia em Portugal

A Qualidade da Democracia em Portugal
A Visão dos Cidadãos
ISBN: 
978-972-671-322-7
Idioma: 
Português
Ano da primeira edição: 
2013
Data de publicação: 
2013/Jan
Dimensão: 
23x15
Nº Páginas: 
261
Coleção: 
Colecção Geral
Formato: 
Capa Mole
12,50 €11,25 €

Sabemos, de muitos estudos anteriores, que os portugueses não estão particularmente satisfeitos com a maneira como funciona a nossa democracia. Mas «democracia» é um conceito e uma realidade multidimensional. Dela esperamos que represente a diversidade de preferências das pessoas, que faça cumprir as leis e dê acesso à justiça, que responsabilize quem governa, que produza políticas eficazes e até, porventura, que promova bem-estar e igualdade de oportunidades. O que esperam os portugueses da democracia? E como a avaliam nestas múltiplas dimensões? É a estas perguntas que este livro dá resposta.

 

Introdução p.17
Capítulo 1 - Estado de direito e qualidade da democracia
Luís de Sousa
p.29
Capítulo 2 - Participação política e qualidade da democracia
Marco Lisi, Riccardo Marchi e Ana Maria Evans 
p.51
Capítulo 3 - Representação em Portugal: perspectiva dos cidadãos
Mónica Brito Vieira e Nina Wiesehomeier
p.79
Capítulo 4 - Responsabilização vertical
José Pedro Zúquete
p.121
Capítulo 5 - E quem controla o governo? Responsabilização horizontal na democracia portuguesa
Marcelo Camerlo e Edalina Rodrigues Sanches
p.129
Capítulo 6 - Direitos e liberdades e qualidade da democracia em Portugal
Ekaterina Gorbunova e Filipa Raimundo
p.153
Capítulo 7 - Direitos iguais, vidas desiguais: as atitudes dos portugueses sobre a desigualdade
Filipe Carreira da Silva, Mónica Brito Vieira e Susana Cabaço
p.179
Capítulo 8 - Responsividade política em Portugal: retrato de um processo de deterioração em curso
Marina Costa Lobo, Carlos Jalali e Frederico Ferreira da Silva
p.211
Capítulo 9 - Governação eficaz e apoio à democracia
Pedro C. Magalhães
p.241

 

António Costa Pinto, investigador coordenador no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa. As suas obras têm incidido sobretudo sobre o autoritarismo e fascismo, as transições democráticas  e a "justiça de transição"  em Portugal e na Europa. A longevidade do Estado Novo português levou-o inicialmente ao estudo comparado dos sistemas autoritários. Mais recentemente dedicou-se ao estudo do impacto da União Europeia na Europa do Sul. Outro tema a que se tem dedicado é o das elites políticas e as mudanças de regime. É autor de mais de 50 artigos em revistas académicas portuguesas e internacionais. Foi consultor científico do Museu da Presidência da República portuguesa e tem colaborado regularmente na imprensa, rádio e televisão.  

Luís de Sousa, Investigador Auxiliar do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa.  É o coordenador responsável da rede de investigação sobre agências anti-corrupção (ANCORAGE-NET) e membro fundador e antigo presidente da Transparência e Integridade - Associação Cívica (TIAC), representação portuguesa da Transparency International. É consultor internacional e investigador correspondente da Comissão Europeia sobre políticas de controlo à corrupção.

Pedro Magalhães, Licenciado em Sociologia pelo ISCTE e Doutorado em Ciência Política pela Ohio State University. Investigador Principal do ICS-ULisboa. Investigação na área da opinião pública, atitudes e comportamentos políticos e instituições políticas e judiciais.