Carrinho de compras

O seu carrinho de compras está vazio.

Angola Imaginada

Angola Imaginada
Nação, Guerra e Utopia na Ficção de Pepetela (1971-1996)
Autor(es): 
Categoria: 
ISBN: 
978-972-671-527-6
Idioma: 
Português
Ano da primeira edição: 
2019
Data de publicação: 
2019/Maio
Dimensão: 
23x15
Nº Páginas: 
323
Coleção: 
Colecção Geral
Formato: 
Capa Mole
22,00 €19,80 €

Em Angola Imaginada: Nação, Guerra e Utopia na Ficção de Pepetela (1971-1996), deparamo-nos com o cruzamento entre a literatura e a sociedade enquanto pressuposto. É um trabalho no âmbito das possíveis correspondências entre a trama literária e o político, indagando como o trabalho literário é infundido pelo político, e como o político é infundido pela literatura. Há, ainda, o labor de captar os símbolos, as imagens, os mitos e as crenças, enquanto veículos de poderes anímicos e de efeverscências, neste caso a paixão pela nação que toma forma no momento em que está a ser constituída.

José Luís Garcia, Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa

 

Agradecimentos p. 13

Prefácio

José Luís Garcia

p. 17
Introdução p. 21
1. No princípio era a luta: o tempo da negatividade p. 43
2. Prestando culto a uma ascendência guerreira: o tempo do mito p. 107
3. Etnicidade e império: o tempo do sincretismo p. 177
4. "Fazer a história disto tudo": o tempo do requiem p. 231
Conclusão p. 285
Bibliografia p. 295
Índice Remissivo p. 317

 

Alexandra Santos, doutorada em sociologia pelo Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, investigadora no IHC, FCSH da Universidade Nova de Lisboa e professora no IADE, Universidade Europeia, onde leciona Sociologia da Comunicação. A sua investigação incide sobretudo sobre  a literatura e a história de Angola, ideologias nacionalistas, pós-colonialismo e estudos da memória.

"Além da ampla documentação, conseguiu integrar o estudo das obras de Pepetela com as circunstâncias históricas de uma maneira muito feliz e mesmo exemplar [....] É dos estudos mais equilibrados e ponderados sobre estes assuntos que conheço, além da sofisticação académica"  - Hermínio Martins