Nas Franjas dos Impérios. Dinâmicas de expansão e ocupação territorial na região do Rio da Prata (1580-1808)

Nas Franjas dos Impérios. Dinâmicas de expansão e ocupação territorial na região do Rio da Prata (1580-1808)

O projecto de investigação "Nas Franjas do Império: Dinâmicas de expansão e ocupação territorial na região do Rio de Prata (1580-1808) procura apresentar uma nova perspectiva sobre a presença histórica dos portugueses na região do rio Platina, sobre a qual pouco ainda é conhecido. O estudo adoptará uma perspectiva comparativa e irá focar modos específicos de troca (no seu sentido mais lato, incluindo competição e conflito) mantidos pelos portugueses com outros poderes coloniais (especialmente com a monarquia espanhola) e com a população autóctone. Três níveis de análises, que se entrecruzam, são propostos. Em primeiro lugar, o estudo pretende mapear os esforços feitos pelas monarquias ibéricas para ocuparem e controlarem territórios longínquos e adjacentes. Em segundo lugar, pretende-se captar as lógicas de sobrevivência e adaptação da população local face às alterações e mudanças que emergiram desses esforços e dos conflitos que provocaram. Por fim, o estudo irá também focar as dinâmicas associadas aos vários agentes sociais e grupos populacionais que se entrecruzam na região Platina. O presente projecto de investigação irá mostrar a complexidade - complementar, mas também, conflitual - destas dinâmicas, juntamente com as estratégias adoptadas pelas monarquias e as acções da população nativa. Contudo, é importante ter em conta que a difícil e contraditória articulação de interesses e de lógicas de expansão dos poderes reais, geridos por várias instituições administrativas a partir de negociações diplomáticas na Europa e movimentos militares locais recorrentes, é mediada pelas dinâmicas dos movimentos individuais e grupais que actuam de forma autónoma e nem sempre de acordo com o enquadramento institucional. Tal é tão mais evidente numa região geográfica que apresentava características típicas de uma área fronteiriça que entrara no período da idade moderna: (i) a ausência de limites territoriais claros, estáveis e seguros; (ii) informação incipiente sobre o território; (iii) a existência de um conjunto de recursos que podem ser adquiridos (ou monopolizados) por vários agentes participantes; (iv) a permeabilidade do proselitismo religioso facilmente associada ao controlo sobre a população autóctone; (v) a elevada mobilidade que afecta indivíduos, grupos, instituições administrativas e militares do poder.

O presente projecto procura ser um contributo para melhor compreender como a combinação das dinâmicas supra mencionadas - através da negociação, guerra, migração e comércio - eventualmente resultou na ocupação efectiva do território. Apesar de, e posteriormente a outras tentativas, as fronteiras de separação dos domínios das duas monarquias ibéricas na América terem sido estabelecidas depois do tratado de Santo Ildefonso, a região platina permaneceu, nos 30 anos seguintes, num estádio de ímpetos demográficos e comerciais, que definitivamente enfraqueceram a sua estabilidade política e administrativa. Tal facto justifica a perspectiva cronológica do estudo.

Estatuto: 
Entidade proponente
Financiado: 
Sim

O projecto de investigação "Nas Franjas do Império: Dinâmicas de expansão e ocupação territorial na região do Rio de Prata (1580-1808) procura apresentar uma nova perspectiva sobre a presença histórica dos portugueses na região do rio Platina, sobre a qual pouco ainda é conhecido. O estudo adoptará uma perspectiva comparativa e irá focar modos específicos de troca (no seu sentido mais lato, incluindo competição e conflito) mantidos pelos portugueses com outros poderes coloniais (especialmente com a monarquia espanhola) e com a população autóctone. Três níveis de análises, que se entrecruzam, são propostos. Em primeiro lugar, o estudo pretende mapear os esforços feitos pelas monarquias ibéricas para ocuparem e controlarem territórios longínquos e adjacentes. Em segundo lugar, pretende-se captar as lógicas de sobrevivência e adaptação da população local face às alterações e mudanças que emergiram desses esforços e dos conflitos que provocaram. Por fim, o estudo irá também focar as dinâmicas associadas aos vários agentes sociais e grupos populacionais que se entrecruzam na região Platina. O presente projecto de investigação irá mostrar a complexidade - complementar, mas também, conflitual - destas dinâmicas, juntamente com as estratégias adoptadas pelas monarquias e as acções da população nativa. Contudo, é importante ter em conta que a difícil e contraditória articulação de interesses e de lógicas de expansão dos poderes reais, geridos por várias instituições administrativas a partir de negociações diplomáticas na Europa e movimentos militares locais recorrentes, é mediada pelas dinâmicas dos movimentos individuais e grupais que actuam de forma autónoma e nem sempre de acordo com o enquadramento institucional. Tal é tão mais evidente numa região geográfica que apresentava características típicas de uma área fronteiriça que entrara no período da idade moderna: (i) a ausência de limites territoriais claros, estáveis e seguros; (ii) informação incipiente sobre o território; (iii) a existência de um conjunto de recursos que podem ser adquiridos (ou monopolizados) por vários agentes participantes; (iv) a permeabilidade do proselitismo religioso facilmente associada ao controlo sobre a população autóctone; (v) a elevada mobilidade que afecta indivíduos, grupos, instituições administrativas e militares do poder.

O presente projecto procura ser um contributo para melhor compreender como a combinação das dinâmicas supra mencionadas - através da negociação, guerra, migração e comércio - eventualmente resultou na ocupação efectiva do território. Apesar de, e posteriormente a outras tentativas, as fronteiras de separação dos domínios das duas monarquias ibéricas na América terem sido estabelecidas depois do tratado de Santo Ildefonso, a região platina permaneceu, nos 30 anos seguintes, num estádio de ímpetos demográficos e comerciais, que definitivamente enfraqueceram a sua estabilidade política e administrativa. Tal facto justifica a perspectiva cronológica do estudo.

Objectivos: 
O principal objectivo deste trabalho é o de lançar uma nova luz, decorrente da adopção de um ponto de vista e de lógicas cruzadas, multi-nacionais e interdisciplinares de investigação, sobre as formas de apropriação territorial, económica, social e política da região Platina, num contexto no qual assumiu uma imensa centralidade nas relações internacionais, designadamente, entre as duas monarquias ibéricas. <p>O produto final da investigação irá traduzir-se num livro, cuja elaboração já se encontra bastante adiantada.</p>
Parceria: 
Não Integrado
Coordenador 
Data Inicio: 
02/01/2004
Data Fim: 
31/12/2008
Duração: 
59 meses
Concluído