Fazendo a transição: A história de um projecto

Fazendo a transição: A história de um projecto

Este projecto de investigação debruça-se sobre o "Transitions Project", que, no início dos anos oitenta, introduziu o estudo das "transições" no âmbito da Ciência Política. Este último encarnou-se na obra em quatro volumes Transitions from Authoritarian Rule, então inovadora e que veio a tornar-se um clássico. Trata-se de um estudo começado no Wilson Center da Universidade de Johns Hopkins, sob a liderança de Abraham Lowenthal, e levado a cabo por Guillermo O'Donnell, Philippe C. Schmitter e Laurence Whitehead, os orientadores intelectuais e editoriais e autores da obra. Caracterizado por uma abordagem eclética dos temas em análise, este projecto baseia-se em seis dimensões principais: 1 - Biográfica (debruça-se sobre a história intelectual e pessoal, quando tal for relevante, dos principais protagonistas do "Transitions Project"); 2 - Histórica intelectual (tem por objectivo examinar o "lugar" da teoria das transições no contexto alargado da teoria política e o seu influência na evolução das ideias acerca das forças que alimentam mudanças politicas; 3 - Histórica institucional (foca as instituições que apoiaram o projecto bem como a transformação que se veio a dar nos estudos políticos e nos departamentos de Ciência Política em vários países através da introdução de disciplinas e departamentos especializados com um enfoque na "política das transições"; 4 - Teórica (focando-se na Ciência Política, desenvolve uma espécie de ensaio crítico acerca da teoria das transições de regimes autoritários/transições para a democracia); 5 - Histórica nacional (procurar determinar de que forma é que as ideias do "Transitions Project" bem como as dos seus principais herdeiros intelectuais foram recebidas e utilizadas por líderes políticos, partidos e actores sociais em vários países que atravessavam períodos de transição democrática); 6 - Teórica (no âmbito das Relações Internacionais, procura analisar a difusão transnacional das principais perspectivas teóricas elaboradas pela primeira vez no "Transitions Project", atendo-se na vaga de transições de regimes autoritários, da Europa do Sul nos anos setenta, à Europa de Leste e Central nos anos noventa, e em várias transições na América Latina, Ásia e África.

Estatuto: 
Entidade proponente
Financiado: 
Não
Keywords: 

Democratização, transições, história intelectual

Este projecto de investigação debruça-se sobre o "Transitions Project", que, no início dos anos oitenta, introduziu o estudo das "transições" no âmbito da Ciência Política. Este último encarnou-se na obra em quatro volumes Transitions from Authoritarian Rule, então inovadora e que veio a tornar-se um clássico. Trata-se de um estudo começado no Wilson Center da Universidade de Johns Hopkins, sob a liderança de Abraham Lowenthal, e levado a cabo por Guillermo O'Donnell, Philippe C. Schmitter e Laurence Whitehead, os orientadores intelectuais e editoriais e autores da obra. Caracterizado por uma abordagem eclética dos temas em análise, este projecto baseia-se em seis dimensões principais: 1 - Biográfica (debruça-se sobre a história intelectual e pessoal, quando tal for relevante, dos principais protagonistas do "Transitions Project"); 2 - Histórica intelectual (tem por objectivo examinar o "lugar" da teoria das transições no contexto alargado da teoria política e o seu influência na evolução das ideias acerca das forças que alimentam mudanças politicas; 3 - Histórica institucional (foca as instituições que apoiaram o projecto bem como a transformação que se veio a dar nos estudos políticos e nos departamentos de Ciência Política em vários países através da introdução de disciplinas e departamentos especializados com um enfoque na "política das transições"; 4 - Teórica (focando-se na Ciência Política, desenvolve uma espécie de ensaio crítico acerca da teoria das transições de regimes autoritários/transições para a democracia); 5 - Histórica nacional (procurar determinar de que forma é que as ideias do "Transitions Project" bem como as dos seus principais herdeiros intelectuais foram recebidas e utilizadas por líderes políticos, partidos e actores sociais em vários países que atravessavam períodos de transição democrática); 6 - Teórica (no âmbito das Relações Internacionais, procura analisar a difusão transnacional das principais perspectivas teóricas elaboradas pela primeira vez no "Transitions Project", atendo-se na vaga de transições de regimes autoritários, da Europa do Sul nos anos setenta, à Europa de Leste e Central nos anos noventa, e em várias transições na América Latina, Ásia e África.

Objectivos: 
<p>Através deste projecto de investigação procura-se traçar a história intelectual dos autores daquela obra seminal bem como explorar as suas ideias e o impacto académico e político - nacional e transnacional - das mesmas. Outro objectivo é o de analisar como, mais tarde, essas ideias vieram a ser desenvolvidas por novas gerações de politólogos e, por último, como a história deste projecto permite explicar como se dão mudanças na teoria e nas perspectivas da Ciência Politica.</p>
State of the art: 
The &quot;Transitions Project&quot; was notable for four reasons: first, it constituted a major theoretical contribution to the study of regime change; second, it was informed by a normative commitment, namely to democratization; third, it had a crucial impact on academic research in the field; and finally, it had a clear influence on political leaders, notably those leading processes of regime change and democratization. <br />The project was initiated in 1979 by the Woodrow Wilson Center in Washington, DC. The Center sponsored various meetings, which culminated in the publication of four books, Transitions from Authoritarian Rule (1986), based on case studies, and offering novel comparative and theoretical perspectives written by scholars from Latin America, the United States, and Europe. The series was translated into numerous languages and, for more than a decade, was the most cited work of social science published in English. Guillermo O?Donnell, Philippe C. Schmitter and Fernando H. Cardoso were the three project co-founders. Cardoso was later replaced by Laurence Whitehead as co-Director. <br />The project was initially proposed by Latin American scholars, at a time when all the countries studied were under authoritarian rule. It incorporated the views of practitioners, policymakers, and international academics from multiple disciplines into what was to be a groundbreaking and rigorous inquiry. <br />The idea of transitions to democracy seemed unrealistic at the time the project was launched, given the political backdrop of brutal authoritarian regimes throughout Latin America. While scholars insisted on the inevitability of transition from authoritarian rule, and while they were committed to democracy, they did not assume that transitions would necessarily culminate in democracy. They came from different disciplines and countries, but were united in advocating certain principles deemed to be inherent to any process of transition: formal government institutions, informal cultural norms, free and fair elections, stable political parties, viable civil societies, and conceptions of citizenship, as well as the &quot;old standards,&quot; development and economic growth. Schmitter noted that the project strove to break away from the mold of social science literature on democratization, which characterized the very idea of democratization as highly unlikely. <br />Over the years, the experiences of different countries helped refine the theoretical discussion, leading to new syntheses and approaches. While the first wave of studies focused on whether and how the new democracies might be consolidated, a topic that inspired the launching of The Journal of Democracy, the project founders later developed new perspectives, each specializing in different areas of democratization studies: O?Donnell began to focus on the issue of the quality of democracy; Schmitter focused on regime consolidation and on supranational democratization; Whitehead developed research on the international dimensions of democratization. All three, however, have continued to insist on the merits of regional or country comparisons as a means to understanding democracies and democratization processes. Continuing debates about democratization, and the more than two decades of empirical research that emerged as a result of the &quot;Transitions Project,&quot; remains the driving force behind the new initiatives to study new democracies in Latin America and beyond.
Diogo Moreira
Carmen Fonseca
Bárbara Direito
Coordenador 
Data Inicio: 
01/09/2007
Data Fim: 
30/08/2009
Duração: 
23 meses
Concluído