Digitalização e Reestruturação: Que Diálogo Social?

Digitalização e Reestruturação: Que Diálogo Social?

O projecto DIRESOC é da responsabilidade dos membros da rede europeia IRENE, a qual é composta por especialistas independentes provenientes de universidades, centros de investigação, ONG, departamentos de investigação de sindicatos, consultores independentes, etc. A IRENE trabalha sobre as dimensões social e económica da reestruturação empresarial na Europa com vista à promoção de práticas responsáveis e inovadoras.

Os objectivos específicos do DIRESOC são desenvolver a especialização e o conhecimento em relações laborais através da análise e estudo ao nível da UE, identificando convergências e diferenças nos sistemas de relações laborais dos Estados-Membros da UE. Os sectores a serem analisados nos países parceiros do DIRESOC são: o turismo, a banca/seguros, correios/logística e indústria.

O DIRESOC é um projecto a dois anos desenvolvido no âmbito do concurso de projectos  VP2017/004: “Melhorar as relações laborais”. É um projecto financiado pela Comissão Europeia e da responsabilidade de nove parceiros provenientes de oito países: Alemanha, Bélgica, Bulgária, Espanha, França, Itália, Portugal e Suécia.

O DIRESOC tem por base vários projetos europeus dedicados ao estudo da reestruturação e do diálogo social. Com o retomardo tema pretende-se detectar quais têm sido as medidas e as políticas nacionais tomadas relativamente à transformação digital e à implementação das novas tecnologias, e mapear o impacto destas acções nas empresas, no emprego e nas condições laborais. O projecto analisa de que forma os governos nacionais e os parceiros sociais se organizaram no desenvolvimento de planos de acção e na implementação de mudanças a nível sectorial e empresarial.

Na sua abordagem da digitalização, o projecto debruça-se sobre os diferentes tipos de alterações resultantes da adopção da tecnologia digital e sobre a forma como esta afecta quer os trabalhadores no desempenho das suas funções, quer as suas condições de trabalho ou o requisito de competências que lhes é feito. Os “diferentes tipos de alteração” interpretados pelo DIRESOC incluem a maneira como o trabalho é realizado, a eventual mudança relacionada com a procura de determinados tipos de trabalho humano, a extinção ou a criação de postos de trabalho – a construção de websites, por exemplo. Ou seja, os seguintes quatro impactos da digitalização no trabalho (identificados na literatura):

  • Criação de emprego: novos sectores, novos produtos, novos serviços;
  • Alteração de emprego: digitalização, interface homem/máquina inteligente, novas formas de gestão;
  • Destruição emprego: automatização, robotização;
  • Mudança de emprego: plataformas digitais, crowdsourcing, economia da partilha.

Estes impactos no trabalho, positivos ou negativos, são na nossa opinião representativos de diferentes tipos de reestruturação.

 

Estatuto: 
Entidade participante
Financiado: 
Sim
Rede: 
Université Liège; Göteborgs universitet; Universität Duisburg; Academia Búlgara de Ciências; ASTREES; Fondazione Di Vittorio; Fundación Cultural 1º de Mayo
Keywords: 

Digitalização, Reestruturação empresarial, Diálogo social, Análise sectorial

O projecto DIRESOC é da responsabilidade dos membros da rede europeia IRENE, a qual é composta por especialistas independentes provenientes de universidades, centros de investigação, ONG, departamentos de investigação de sindicatos, consultores independentes, etc. A IRENE trabalha sobre as dimensões social e económica da reestruturação empresarial na Europa com vista à promoção de práticas responsáveis e inovadoras.

Os objectivos específicos do DIRESOC são desenvolver a especialização e o conhecimento em relações laborais através da análise e estudo ao nível da UE, identificando convergências e diferenças nos sistemas de relações laborais dos Estados-Membros da UE. Os sectores a serem analisados nos países parceiros do DIRESOC são: o turismo, a banca/seguros, correios/logística e indústria.

O DIRESOC é um projecto a dois anos desenvolvido no âmbito do concurso de projectos  VP2017/004: “Melhorar as relações laborais”. É um projecto financiado pela Comissão Europeia e da responsabilidade de nove parceiros provenientes de oito países: Alemanha, Bélgica, Bulgária, Espanha, França, Itália, Portugal e Suécia.

O DIRESOC tem por base vários projetos europeus dedicados ao estudo da reestruturação e do diálogo social. Com o retomardo tema pretende-se detectar quais têm sido as medidas e as políticas nacionais tomadas relativamente à transformação digital e à implementação das novas tecnologias, e mapear o impacto destas acções nas empresas, no emprego e nas condições laborais. O projecto analisa de que forma os governos nacionais e os parceiros sociais se organizaram no desenvolvimento de planos de acção e na implementação de mudanças a nível sectorial e empresarial.

Na sua abordagem da digitalização, o projecto debruça-se sobre os diferentes tipos de alterações resultantes da adopção da tecnologia digital e sobre a forma como esta afecta quer os trabalhadores no desempenho das suas funções, quer as suas condições de trabalho ou o requisito de competências que lhes é feito. Os “diferentes tipos de alteração” interpretados pelo DIRESOC incluem a maneira como o trabalho é realizado, a eventual mudança relacionada com a procura de determinados tipos de trabalho humano, a extinção ou a criação de postos de trabalho – a construção de websites, por exemplo. Ou seja, os seguintes quatro impactos da digitalização no trabalho (identificados na literatura):

  • Criação de emprego: novos sectores, novos produtos, novos serviços;
  • Alteração de emprego: digitalização, interface homem/máquina inteligente, novas formas de gestão;
  • Destruição emprego: automatização, robotização;
  • Mudança de emprego: plataformas digitais, crowdsourcing, economia da partilha.

Estes impactos no trabalho, positivos ou negativos, são na nossa opinião representativos de diferentes tipos de reestruturação.

 

Parceria: 
Rede Internacional

DIRESOC

Coordenador 
Data Inicio: 
01/02/2018
Data Fim: 
31/01/2020
Duração: 
24 meses
Em curso