Corporeidades Hiper-Disciplinadas: Vivências e Sentidos Juvenis

Corporeidades Hiper-Disciplinadas: Vivências e Sentidos Juvenis

O projecto de investigação pretende o aprofundamento da relação entre corporeidade e processos juvenis de (re)construção identitária, a partir do estudo de dois casos específicos: os comportamentos anorécticos e os comportamentos vigorécticos. Estes casos correspondem a manifestações juvenis cuja visibilidade se impõe pela singularidade e espectacularidade que enforma a respectiva expressão corporal, bem como pela relevância social que lhes é atribuída, enquanto comportamentos tidos como psico-patológicos em crescimento na sociedade portuguesa. O objectivo da investigação é o de inventariar a estrutura sócio-simbólica de que tais comportamentos se revestem enquanto referentes de construção identitária num dado momento do ciclo de vida.

Estatuto: 
Entidade participante
Financiado: 
Não
Keywords: 

Corpo; anorexia; vigorexia; juventude

O projecto de investigação pretende o aprofundamento da relação entre corporeidade e processos juvenis de (re)construção identitária, a partir do estudo de dois casos específicos: os comportamentos anorécticos e os comportamentos vigorécticos. Estes casos correspondem a manifestações juvenis cuja visibilidade se impõe pela singularidade e espectacularidade que enforma a respectiva expressão corporal, bem como pela relevância social que lhes é atribuída, enquanto comportamentos tidos como psico-patológicos em crescimento na sociedade portuguesa. O objectivo da investigação é o de inventariar a estrutura sócio-simbólica de que tais comportamentos se revestem enquanto referentes de construção identitária num dado momento do ciclo de vida.

Objectivos: 
<p>Propõe-se investigar algumas práticas desportivas e alimentares que pretendem a exploração «radical» da aparência do corpo, com o objectivo de compreender e interpretar os seus significados culturais e ancoramentos sociais. O que motiva alguns jovens a optar por determinado tipo de expressões corporais "radicais", muitas vezes enfrentando graves e elevados riscos físicos e sociais? Que configurações de sentido atribuem a esses corpos? Que condições sociais propiciam a sua emergência? Que efeitos produzem a sua assunção? Tais questões far-se-ão a partir de alguns domínios de observação ilustrativos de produções e utilizações juvenis do corpo geralmente consideradas «radicais»: os comportamentos anorécticos e vigorécticos, ou seja, comportamentos caracterizados pela adesão intensiva a regimes dietéticos muitas vezes acompanhados da ingestão de substâncias que prometem o emagrecimento (ex.: diuréticos) ou o aumento da massa muscular (ex.: anabolizantes) e de sobre-exercício físico.</p>
State of the art: 
Parte-se da hip&oacute;tese de que os comportamentos anor&eacute;cticos e vigor&eacute;cticos se caracterizam pela hiper-disciplina na aplica&ccedil;&atilde;o dos regimes corporais que os consubstanciam. Os regimes de restri&ccedil;&atilde;o alimentar e de pr&aacute;tica desportiva corresponder&atilde;o a investimentos expressivos na imagem corporal, materializando projectos geralmente orientados no sentido da adequa&ccedil;&atilde;o a modelos de corporeidade actualmente dominantes, associados a valores de juventude, sa&uacute;de, sedu&ccedil;&atilde;o e sucesso. Sup&otilde;e-se serem modelos de corporeidade, contudo, profundamente clivados por g&eacute;nero: teremos modelos apropriados no masculino, conotados com for&ccedil;a e tonicidade muscular; e modelos apropriados no feminino, associados &agrave; eleg&acirc;ncia e fragilidade corporal. A concretiza&ccedil;&atilde;o desses modelos implica investigar actividades como, respectivamente, a muscula&ccedil;&atilde;o ou as dietas. <br /><br />Tais pr&aacute;ticas, apesar de remeterem para modelos de corporeidade normativa, tamb&eacute;m ter&atilde;o os seus cultores mais ?radicais?, representados por jovens que se excedem na intensidade e frequ&ecirc;ncia com que se aplicam nos regimes mobilizados, desenvolvendo o que designamos de comportamentos hiper-disciplinados. De facto, a concretiza&ccedil;&atilde;o de projectos corporais que recorrem a estrat&eacute;gias diet&eacute;ticas e/ou desportivas, tem vindo a traduzir-se num cada vez maior n&uacute;mero de casos identificados com patologias ou perturba&ccedil;&otilde;es psicossom&aacute;ticas, associadas a comportamentos obsessivos e compulsivos no sentido da restri&ccedil;&atilde;o alimentar (anorexia) ou da pr&aacute;tica de muscula&ccedil;&atilde;o (vigorexia), com quadros de sintomatologia e de diagn&oacute;stico clinicamente definidos. <br /><br />N&atilde;o &eacute; nosso objectivo explicar sociologicamente as ?doen&ccedil;as?, mas compreender as condi&ccedil;&otilde;es objectivas e subjectivas que estar&atilde;o na base do que designamos de comportamentos anor&eacute;cticos e vigor&eacute;cticos. Muito genericamente, entende-se por comportamento anor&eacute;ctico ou vigor&eacute;ctico a conduta que se pauta por um conjunto recorrente e intensivo de ac&ccedil;&otilde;es de vigil&acirc;ncia, restri&ccedil;&atilde;o e disciplina corporal, no sentido de atingir um modelo de corporeidade ?ideal? e desejado, em fun&ccedil;&atilde;o do qual o indiv&iacute;duo passa a organizar os seus tempos e pr&aacute;ticas quotidianas.
Coordenador 
Data Inicio: 
01/01/2007
Data Fim: 
31/12/2009
Duração: 
35 meses
Concluído