Medicina e Império em Goa

Medicina e Império em Goa
Do conhecimento das plantas à biopolítica colonial
Autor(es): 
Categoria: 
ISBN: 
978-972-671-693-8
Idioma: 
Português
Data de publicação: 
2022/Ago
Dimensão: 
23x15
Nº Páginas: 
369
Coleção: 
Colecção Geral
Formato: 
Capa Mole
25,00 €22,50 €

O livro Medicina e Império em Goa: do Conhecimento das Plantas à Biopolítica Colonial é uma obra imensamente oportuna. Partindo da etnografia de arquivo — espécie da antropologia histórica — como método privilegiado de investigação, o livro dá a escutar, com a vibração da palavra viva, a voz de atores e grupos que estariam, como querem algumas interpretações, ontologicamente condenados a não falar. Ao não se contentar apenas com a denúncia necessária e descrição das abominações do colonialismo, a obra captura, nos interstícios do arquivo e nas entrelinhas da documentação, o império em seus fluxos e refluxos, vacilações e improvisos. Interrogando a medicina praticada na Goa portuguesa em todas as suas dimensões, os capítulos desmontam a máquina colonial de administração dos corpos e revelam seus mecanismos de funcionamento, suas muitas peças em fricção, e as identidades complexas de seus operadores, que não se deixam essencializar na oposição entre europeus e "outros".   [Thomás A. S. Haddad, Universidade de São Paulo, Brasil]

Introdução

Cristiana Bastos

p. 15

Capítulo 1 

Os diálogos de Orta e Ruano sobre as frutas e legumes do Oriente: os testemunhos de uma outra face da Ásia 
Teresa Nobre de Carvalho

p. 31

Capítulo 2 

«Esperiencias das hervas orientaes»: um inventário quinhentista de materia medica indiana 
Oana Baboi

p. 59

Capítulo 3 

Técnicas terapêuticas nativas da Índia utilizadas nas instituições médicas coloniais portuguesas de Goa, Damão e Diu (1680-1830). 
Timothy Walker

p. 89

Capítulo 4 

As ordens religiosas e a construção de uma medicina europeia aplicada aos trópicos: a ação da Companhia de Jesus a partir de Goa 
Fabiano Bracht

p, 123

Capítulo 5 

Segredos, orientalismo e botânica médica em Goa, c.1840-1930
Ricardo Roque

p. 145

Capítulo 6 

Instituições coloniais e processos locais no governo da saúde em Goa: hospitais, físicos-mores, Escola Médica e saúde pública 
Cristiana Bastos

p. 187

Capítulo 7

Goa perante a varíola: saberes concorrentes, poderes ambíguos e práticas conjugadas
Cristiana Bastos

p. 235

Capítulo 8 

A lanceta contra a deusa: vacina antivariólica e variolização em Goa 
Mónica Saavedra

p. 255

Capítulo 9

 Goa perante a cólera e a peste: epidemias, conhecimento médico e políticas sanitárias 
Cristiana Bastos e Mónica Saavedra

p. 287

Capítulo 10 

Saúde pública, contextos coloniais e actores locais no século xx: o controlo da doença de Hansen na Índia Portuguesa 
Mónica Saavedra

p. 329
   
Índice Remissivo p. 363

 

Cristiana Bastos  (PhD CUNY 1996) é antropóloga e o seu trabalho intersecta as disciplinas de antropologia, história e estudos sociais de ciência, tecnologia e medicina. É investigadora do quadro do Instituto de Ciências Sociais, onde coordena o Grupo de Investigação Identidades, Culturas, Vulnerabilidades. Em projectos anteriores investigou dinâmicas de população, mobilidades transnacionais, biopolíticas coloniais, medicina e império, história social da saúde e bem-estar, com pesquisa de campo e arquivo em Portugal, Brasil, Estados Unidos, India e Moçambique. Actualmente coordena o projectoThe Colour of Labour(ERC AdG 695573),onde está directamente envolvida nas linhas de pesquisa sobre a Guiana, Hawaii, Nova Inglaterra e Angola.

Carrinho de compras

O seu carrinho de compras está vazio.