Género e Transgressão

Género e Transgressão
Des/fazendo o masculino e o feminino em Portugal e no Reino Unido
Autor(es): 
Categoria: 
ISBN: 
978-972-671-599-3
Idioma: 
Português
Data de publicação: 
2020/Jul
Dimensão: 
23x15
Nº Páginas: 
254
Coleção: 
Colecção Geral
Formato: 
Capa Mole
18,00 €16,20 €

Esta obra destina-se a quem deseja aprofundar o fenómeno não binário, as dinâmicas de permanência e transformação das práticas de género, os conceitos de identidade de género e de transgressão de género. Discutem-se principalmente as dimensões normativas e morais das práticas de género nos contextos português e britânico desde a segunda metade do século XX, ou seja, a partir do período em que se iniciou a institucionalização da identidade de género como direito humano inalienável.

 

Introdução p. 19
   
Capítulo I: A hétero-regulação do género e as transformações macrossociais p. 27
Capítulo II: o movimento não binário a partir do ciberespaço p. 69
Capítulo III: As vidas vividas e contadas p. 113
Capítulo IV: Género e Transgressão p. 207
   
Conclusão p. 229
Anexo p. 237
Bibliografia  p. 241
Índice remissivo p. 253

 

Sara Merlini é socióloga, membro da Associação Portuguesa de Sociologia e da European Sociological Association (Research Network 33 – Women’s and Gender Studies). Desde 2009 tem contribuído para diferentes projetos e Centros de Investigação (CIES-IUL, CIEG/ /ISCSP-ULisboa e ICS-ULisboa). De 2015 a 2020 foi bolseira do Projeto TRANSRIGHTS, no âmbito do qual concluiu o seu doutoramento, em que se baseia o livro Género e Transgressão. Des/fazendo o Masculino e o Feminino em Portugal e no Reino Unido.

«Eis um livro que nos oferece uma leitura original de uma grande transformação do nosso tempo. Acompanhando a expansão dos direitos transgénero e a luta pela liberdade de afirmar a própria identidade, Sara Merlini interroga as possibilidades de transgressão das normas que historicamente separam os homens das mulheres. As respostas que nos oferece desmontam visões lineares da mudança e questionam definições simples do género, tema central das lutas sociais e políticas. Por isso, este é um livro para todas as pessoas.»  (Sofia Aboim, Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa).