Capital Social e Jovens Originários dos PALOP em Portugal

Capital Social e Jovens Originários dos PALOP em Portugal
Autor(es): 
Categoria: 
ISBN: 
978-972-671-242-8
Idioma: 
Português
Data de publicação: 
2009/Maio
Dimensão: 
14x20
Nº Páginas: 
215
Coleção: 
Colecção Breve
Formato: 
Capa Mole
15,00 €13,50 €

Analisar a socialização e o capital social de jovens originários de Angola e de Cabo Verde em Portugal realça o carácter global da mobilidade contemporânea no espaço comunitário europeu, numa especificidade local que implica a gestão de identidades complexas, carregadas de significados inscritos na história das relações entre os países de origem e o país de residência. O capital social dos indivíduos, cujas características se pretendeu captar com o estudo que se apresenta, organiza as redes sociais de acordo com a história, a cultura e as identidades dos grupos considerados, gere as restrições no acesso aos recursos e aos direitos de cidadania, e estrutura as relações de dominação entre grupos.
Quais são então as características das redes que se organizam em torno da solidariedade e da confiança que permitem aos indivíduos em movimento a sua participação no desenvolvimento dos países envolvidos?

 

 

Introdução p.13
1. O inquérito por questionário sobre o capital social p.43
2. Associativismo voluntário na diáspora p.73
3. As redes e o acesso ao mercado de trabalho p.105
4. Inclusão social e identidades plurais p.123
Conclusões p.163
Bibliografia p.172
Anexos p.181
Índice remissivo p.211

 

Marzia Grassi,  é investigadora auxiliar no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa. Ao ongo do seu percurso académico desenvolveu uma abordagem integrada sobre o tema de género, transnacionalismo e desenvolvimento na Europa e em países africanos de língua oficial portuguesa. Considerando a mobilidade de pessoas, bens e ideias que caracterizam o mundo contemporâneo nos últimos anos, desenvolveu e conduziu diversos projetos, tanto na Europa como em países africanos. Em todos os seus projectos tem explorado uma abordagem metodológica inovadora com um forte potencial comparativo, dando uma importância central à recolha de dados com base em três diferentes premissas: localizações múltiplas; múltiplos tipos de migrantes (baixa escolaridade e  migrantes qualificados); combinação de técnicas quantitativas e qualitativas, utilizando os inquéritos apenas por fins estatísticos.