José Manuel Rolo por Manuel Villaverde Cabral

José Manuel Rolo por Manuel Villaverde Cabral

JOSÉ MANUEL ROLO (9/3/1941 - 24/8/2018)

Recordado por Manuel Villaverde Cabral, antigo Presidente do Conselho Científico e do Conselho Directivo do Instituto de Ciências Sociais (ICS) da Universidade de Lisboa

O nosso colega fazia já parte do antigo Gabinete de Investigações Sociais (GIS) antes do 25 de Abril de 1974 e foi lá que o conheci quando fui pela primeira vez ao GIS. Só mais tarde fui convidado pelo Professor Adérito Sedas Nunes para entrar, como então se dizia, para aquele pequeno grupo de investigadores em ciências sociais como não existiu outro em Portugal durante bastante tempo. O Rolo tinha feito Economia no Porto e era, na altura, assistente no antigo ISE onde se doutorou e continuou a leccionar, ao mesmo tempo que foi responsável de programas da Comissão Europeia em apoio ao ensino superior na América Latina assim como de actividades de cooperação nos países africanos de língua portuguesa. 

De início, enquanto trabalhávamos para fazer os nossos doutoramentos e desenvolvíamos uma série de projectos de investigação consagrados, na maioria, ao novo Portugal que estava então a nascer na segunda metade da década de ’70 e inícios de ’80, o Rolo estava sempre presente e fazia parte de um grupo que ia almoçar frequentemente à Costa da Caparica. Creio que foi dessas prolongadas conversas sobre tudo e mais alguma coisa que ficámos amigos para sempre, independentemente das carreiras de cada um e das saídas ao estrangeiro em que estávamos envolvidos. 

Entretanto, são de citar algumas das suas principais publicações, começando pela sua tese Capitalismo, Tecnologia e Dependência em Portugal(1977), à qual se seguiram estudos especializados como A Componente Tecnológica Estrangeira da Indústria Electro-metalomecânica Pesada Portuguesa: um Ensaio de Tratamento Sistemático (1981)eA Componente Tecnológica Estrangeira da Indústria Transformadora Portuguesa(1984), continuados por pesquisas de maior alcance sócio-económico como Redescobrir a África: a Cooperação Portuguesa no Contexto da Cooperação Internacional para o Desenvolvimento(1986) e O Regresso às Armas - Tendências das Indústrias da Defesa (2006), terminando com uma oportuna e importante reflexão sobre os Labirintos da Crise Financeira Internacional(2007-2010).

Mesmo à distância, o Rolo estava sempre presente com a sua alegria, o seu bom feitio e a sua disposição permanente para colaborar, o que o levaria no fim da carreira a ser presidente do Conselho Directivo do ICS, no qual o antigo GIS se havia transformado e que contava já dezenas de investigadores portugueses e estrangeiros. Entre aqueles que entretanto se iam aposentando, o Rolo era sempre uma presença amiga e vivaz em todas as ocasiões institucionais, assim como nos encontros pessoais que continuámos a manter. A inesperada morte do José Manuel Rolo deixou-nos a todos – jovens e mais velhos – chocados e irremediavelmente tristes pela sua imensa perda. 

27 de Agosto de 2018