Negociar na Adversidade

Negociar na Adversidade
Políticas de Resgate na zona euro
ISBN: 
978-972-671-739-3
Idioma: 
Português
Ano da primeira edição: 
2023
Data de publicação: 
2023/Dec
Dimensão: 
23x15
Nº Páginas: 
268
Coleção: 
Coleção Estudos
Formato: 
Capa Mole
20,00 €18,00 €

Na última década, cinco governos da zona euro em dificuldades económicas receberam financiamento internacional, aceitando como condição a implementação de políticas especificadas nos Memorandos de Entendimento. Como decorreram as negociações neste contexto? Que margem de manobra tiveram os governos destes países? Após o período de condicionalidade, os governos mostraram interesse em reverter as políticas que lhes foram impostas? E foram capazes de o fazer?

Este livro explora as restrições impostas aos executivos nacionais dos países resgatados da zona euro durante e depois da crise, de 2008 a 2019. Os autores argumentam que, apesar da pressão do mercado internacional e da condicionalidade imposta pelos credores, os governos dispuseram de alguma margem de manobra durante os resgates e foram capazes de defender, resistir, moldar ou reverter algumas das políticas exigidas pelos atores externos. Em determinadas circunstâncias, os executivos nacionais conseguiram também explorar o constrangimento da condicionalidade para adotar políticas que, apesar de serem consideradas necessárias, não tinham sido concretizadas anteriormente devido a resistências internas.

Negociar na adversidade fornece uma perspetiva importante sobre os fatores que estão na base do poder de negociação, sobre a importância da credibilidade em processos de negociação internacional e sobre os limites da condicionalidade. As conclusões do livro poderão ser um contributo na concessão de empréstimos internacionais e europeus em futuras crises.

Índice  
Índice de figuras e tabelas p.   9
Siglas e acrónimos p. 11
Os autores

p. 13

Agradecimentos p. 15
Introdução p. 17

 

Capítulo 1

As dinâmicas políticas da condicionalidade: um quadro teórico

 

 

p. 37

Capítulo 2

Grécia

 

p. 57

Capítulo 3

Irlanda

 

p.103

Capítulo 4

Portugal

 

p.131

Capítulo 5

Espanha

 

p.159

Capítulo 6

Chipre

 

p.187

Capítulo 7

Capitalizar restrições externas: seis coisas que devemos saber sobre a zona euro

 

p.209

Referências bibliográficas p.229
Índice remissivo p.259
   

 

Catherine Moury é professora associada de Ciência Política na Universidade NOVA, Portugal. A sua investigação centra-se em Política Comparativa e na mudança institucional na União Europeia.

Daniel Cardoso é professor auxiliar na Universidade Autónoma de Lisboa e investigador do Observare – Observatório das Relações Externas, Portugal. Os seus interesses de investigação incluem a crise da zona euro, políticas públicas, políticas externas e a interseção das políticas nacionais e internacionais.

Stella Ladi é leitora sénior na Queen Mary University de Londres e professora assistente na Panteion University de Atenas, tendo lecionado nas Universidades  de Sheffield e de Exeter. A sua investigação inclui a crise da zona euro, as reformas da política pública e da administração pública, a europeização, a política pública global e a administração transnacional, bem como o papel dos especialistas em políticas públicas.

Angie Gago é investigadora principal no Centro de Direito Comparado Europeu e Internacional da Universidade de Lausanne e pós-doutorada pelo Centro Nacional de Competência em Investigação (NCCR − On the Move) para estudos de migrações e mobilidade. Os seus estudos versam sobre políticas, instituições e políticas públicas a vários níveis. Interessa-se pela interação entre a política da União Europeia e as dinâmicas políticas nacionais e a elaboração de políticas.