Jornalistas em Greve

Jornalistas em Greve
Imprensa e Sindicalismo na I República
Autor(es): 
Categoria: 
ISBN: 
9789726717539
Idioma: 
Português
Data de publicação: 
2023/Sep
Dimensão: 
14x20
Nº Páginas: 
222
Coleção: 
Colecção Breve
Formato: 
Capa Mole
12,00 €10,80 €

A 18 de janeiro de 1921, tipógrafos, distribuidores e jornalistas de Lisboa iniciaram uma greve que se prolongaria ao longo de vários meses e seria responsável pela paralisação da produção e distribuição de uma grande parte dos jornais da capital. Num contexto marcado por duros embates entre sindicatos, patronato e governos, esta greve adquiriu uma particular relevância não só pela sua longevidade, mas por ter originado um conjunto de publicações afetas a ambos os lados da contenda e por ter constituído o que o tipógrafo e sindicalista Alexandre Vieira classificou de «batismo de fogo» dos jornalistas. A partir da análise deste acontecimento, este livro propõe uma reflexão aprofundada sobre a condição económica, social e política de quem dedica a sua vida ao exercício do jornalismo.

 

Índice

Introdução p.15

CAPÍTULO 1

O jornalista entre jornalismos e esferas públicas

p.23

CAPÍTULO 2

Da associação de classe à greve

p.39

CAPÍTULO 3

O Jornal das empresas de jornais

p.65

CAPÍTULO 4

A greve d’A Imprensa de Lisboa

p. 91

CAPÍTULO 5

Última Hora, um jornal para as classes médias

p. 131

CAPÍTULO 6

Após a greve: vida e morte do Sindicato dos Profissionais da Imprensa de Lisboa

p. 147
Conclusão p.183
Bibliografia p.201
   

 

José Nuno Matos é especialista em sociologia do trabalho e dos media. Licenciado e mestre em Ciência Política (ISCSP-ULisboa), doutorou-se em Sociologia no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa (ICS-ULisboa) em 2013, onde desenvolveu atividade enquanto investigador até 2022. Atualmente, é investigador auxiliar do Instituto de Comunicação da Universidade Nova de Lisboa (ICNOVA/NOVA-FCSH) e docente da cadeira de Análise Social na Escola Superior de Comunicação do Instituto Politécnico de Lisboa (ESCS-IPL).  As suas principais áreas de interesse são as relações de emprego e de trabalho nas indústrias culturais e criativas, a economia política dos media e a história social do jornalismo em Portugal.