Médicos, Medicina Popular e Inquisição

Médicos, Medicina Popular e Inquisição
A Repressão das Curas Mágicas em Portugal durante o Iluminismo
Autor(es): 
Categoria: 
ISBN: 
978-972-671-321-0
Idioma: 
Português
Data de publicação: 
2013/Jan
Dimensão: 
16x23
Nº Páginas: 
423
Coleção: 
Colecção Geral
Formato: 
Capa Mole
26,00 €23,40 €

Com este volume temos o privilégio de conhecer um dos trabalhos pioneiros de um historiador versátil e abrangente como Timothy D. Walker, cujas pesquisas abarcam temos tão diversos como a medicina na Índia colonial portuguesa, a partilha de espaços por religiões concorrentes, os usos sociais do chocolate.
Baseado numa longa e minuciosa pesquisa de fontes e desenvolvido segundo hipóteses inovadoras sobre a perseguição a curandeiros e curandeiras pelo Santo Ofício, Walker convida os leitores a repensar o que tomam por certo acerca da Inquisição em Portugal. O seu alcance vai para além dos contributos mais óbvios: não se trata apenas de resgatar do fundo dos arquivos a evidencia sobre a caça às bruxas em Portugal, mantida por muito tempo na penumbra face à maior expressividade do fenómeno em países como a Inglaterra; tão pouco se trata apenas de mapear os períodos de maior violência e tolerância, numa perspectiva que inclui a comparação com instituições congéneres. O que está no cerne deste livro e o distingue é o modo como estabelece a equação de interesses que subjaz às perseguições a curandeiros pela Inquisição Portuguesa. Apoiado em extensa documentação primária do Arquivo Nacional da Torre do Tombo, o autor demostra que por detrás das perseguições existe a concorrência de praticantes da arte da cura: de um lado uma classe emergente de médicos certificados, formados, em vias de profissionalização e de outro todo um conjunto de praticantes da cura implantados nas comunidades. Essa tensão vem a resolver-se para o lado dos novos profissionais da medicina: enquanto cresce a sua influência, aumentam as hostilidades perante os curandeiros, complexificam-se as acusações que lhes são imputadas, e intensificam-se os castigos aplicados.

Parte I 
Contexto Social, Político e Institucional
 
1 - Introdução e Síntese  p.15
2 - O Papel do Curandeiro e do Saludador na Sociedade Portuguesa do Princípio da Idade Moderna  p.45
3 - Influências do Iluminismo: o avanço em direção à reforma médica no Portugal setecentista  p.91
4 - O Monarca e o Inquisidor-Geral: duas personalidades que influenciaram a campanha do Santo Ofício contra os curandeiros  p.147
5 - Interligações: a influência dos médicos e cirurgiões licenciados na Inquisição e na corte durante o reinado de D. João V  p.171
Parte II
A Repressão das Curas Mágicas
 
6 - Uma Política Deliberada de Opressão: os processos da Inquisição portuguesa contra os curandeiros por crimes de magia, cerca de 1690–1780  p.197
7 - Estudos de Casos: processos contra curandeiros e saludadores nos séculos XVII e XVIII em Portugal  p.243
8 - A Punição dos Autores de Crimes de Magia: brandos costumes e controlo social  p.271
9 - Perfil Demográfico e Mobilidade Geográfica dos Curandeiros Processados pela Inquisição Portuguesa, 1682–1802  p.319
10 - Conclusões  p.365
Bibliografia p.373
Imagens p.397
Índice p.405