Estado, Regimes e Revoluções

Estado, Regimes e Revoluções
Estudos em Homenagem a Manuel de Lucena
ISBN: 
978-972-671-304-3
Idioma: 
Português
Data de publicação: 
2012/Dec
Dimensão: 
23x15
Nº Páginas: 
634
Coleção: 
Colecção Geral
Formato: 
Capa Mole
33,00 €29,70 €

Este livro é uma homenagem ao investigador e académico Manuel de Lucena, cuja obra sobre o corporativismo foi pioneira e é referência obrigatória na história e na ciência política, a que se juntaram outros temas mais gerais, como os totalitarismos, mudança revolucionária, reconstrução constitucional pós-autoritária, grupos de interesses e descolonização portuguesa.
A obra compõe-se de três partes distintas. Uma primeira, de natureza eminentemente teórica, aborda questões filosóficas caras a Manuel de Lucena. Nela participam António de Araújo, Francisco Sarsfield Cabral, Joaquim Aguiar, J. J. Gomes Canotilho, José Luís Cardoso, Luís Salgado de Matos, Maria Filomena Mónica, Paulo Ferreira da Cunha, Paulo Tunhas e Roque Cabral.
Uma segunda parte incide sobre o corporativismo português e no mundo moderno e conta com os contributos de Álvaro Garrido, Fátima Patriarca, Howard Wiarda, Luciano Amaral e Philippe Schmitter.
A terceira parte engloba estudos vários sobre Portugal no século XX, designadamente nas suas relações externas e com o império africano, abarcando os períodos da I República, do Estado Novo e dos períodos revolucionário e da pós-descolonização, caso da Guiné-Bissau. São seus autores António Duarte Silva, Carlos Gaspar, Douglas Wheeler, M. Fátima Bonifácio, Fernando Rosas, Mónica Vieira e Filipe Carreira da Silva, José Barreto, José Luís Garcia, José Medeiros Ferreira, Manuel Braga da Cruz, Pedro Aires Oliveira, Pedro Lains e Valentim Alexandre.

 

Os autores p. 15
Introdução p. 25
Parte I: Teoria Política  

1. Teologia política: algumas considerações críticas

António Araújo

p. 35

2. Arendt, Rawls, Sem - teoria política e filosofia

Francisco Sarsfield Cabral

p. 69

3. A estrutura de fim-de-regime

Joaquim Aguiar

p. 81

4. O princípio da responsabilidade: um princípio a rever na Constituição

J.J. Gomes Canotilho

p. 113

5. A teoria económica das crises na obra de J.P. da Costa Leite (Lumbrales)

José Luís Cardoso

p. 127

6. trindade e Trindade

Luís Salgado de Matos

p. 145

7. G. Orwell e G. K. Chesterton

Maria Filomena Mónica

p. 163

8. Instituições, Estado e pessoas

Paulo Ferreira da Cunha

p. 175

9. Retorno e repetição

Paulo Tunhas

p. 191

10. Tentativa de leitura unitária das leis

Roque Cabral

p. 199
Parte II: Corporativismo  

11. Estado corporativo, economia institucionalizada - reinterpretação do corporativismo económico do Estado Novo

Álvaro Garrido

p. 205

12. A batalha de Pomigliano d'Arco

Fátima Patriarca

p. 229

13. O corporativismo em Portugal e no mundo moderno

Howard J. Wiarda

p. 263

14. Ainda a evolução do sistema corporativo português?

Luciano Amaral

p. 277

15. Poderá a actual crise ressuscitar o Sísifo neocorporativista?

Philippe C. Schmitter

p. 283
Parte III: Portugal no século XX  

16. Estado constitucional e poder marcial na Guiné-Bissau

António E. Duarte Silva

p. 297

17. A União Soviética e a revolução portuguesa

Carlos Gaspar

p. 321

18. Portugal em África: uma sociedade colonial em transformação (1880-1930)

Douglas L. Wheeler

p. 345

19. Admirável universidade nova

M. Fátima Bonifácio

p. 363

20. Memória da violência e violência da memória

Fernando Rosas

p. 371

21. Quo vadis, Europa? O tortuoso caminho da construção europeia

Mónica Brito Vieira e Filipe Carreira da Silva

p. 387

22. Nacional-catolicismo: origens e carreira de um conceito

José Barreto

p. 405

23. Um mulato contra o império português. Descobrir Mário Domingues no século XXI

José Luís Garcia

p. 457

24. A I República e as organizações internacionais 

José Medeiros Ferreira

p. 485

25. A primeira reacção monárquica contra a República

Manuel Braga da Cruz

p. 521

26. O render da guarda: os EUA, a Grã-Bretanha e Portugal no pós-Segunda Guerra Mundial

Pedro Aires Oliveira

p. 565

27. Salazar anticolonial: o problema financeiro de Angola e a sua solução, 1900-1939

Pedro Lains

p. 589

28. A evolução ideológica de Salazar: do primado do espiritual ao primado do político

Valentim Alexandre

p. 611
Bibliografia de Manuel de Lucena p. 629

 

Carlos Gaspar, politólogo e professor associado convidado do Departamento de Estudos Políticos da FCSH- Universidade Nova de Lisboa. As suas principais áreas de interesse são a Teoria das Relações Internacionais e a História das Relações Internacionais. 

Fátima Patriarca, foi investigadora principal do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa. Dedicou-se, entre outros temas, ao estudo da questão social no salazarismo, sindicalismo, e ao período final do Estado Novo.

Luís Salgado de Matos é formado em Direito, doutorado em Sociologia Política pela Universidade de Lisboa e agregado em instituições e processos políticos pela Universidade Nova de Lisboa. O seu programa de investigação teórico e empírico estuda as três instituições triangulares que propõe como cerne da política: Igreja, a instituição do simbólico: Forças Armadas, da segurança; Estado, da reprodução.