Canoas da Bahia

Canoas da Bahia
Uma Oferta Ergológica
Categoria: 
ISBN: 
978-972-671-296-1
Idioma: 
Inglês, Português
Data de publicação: 
2012/Jan
Formato: 
CD-Rom
Open Access

Este livro celebra as esbeltas canoas que rolam aos milhares pelas águas lisas e negras dos bosques marinhos do Recôncavo e Baixo Sul da Bahia. São canoas monóxilas, escavadas em troncos de uma madeira amarela extraordinária – muito leve mas muito resistente – por carpinteiros e pescadores empreendedores e calorosos, em busca de uma vida digna e livre. Em vez de pôr o enfoque directamente sobre as pessoas, a ergologia estuda os instrumentos que elas inventam para mediar o mundo; procurando, assim, iluminar a enorme complexidade da inerência das pessoas no mundo, que vai desde a vida íntima aos grandes problemas económicos e ambientais dos nossos dias.

PDF Integral Livro
PDF Integral Imagens (Versão em Português)
PDF Images (English Version)

Prefácio 

1. Uma floresta sobre o mar
Aqui se apresenta o manguesal – essa floresta que cresce sobre águas marinhas, onde as gentes buscam em suas canoas o sustento que lhes dá a liberdade. 
2. Baiacu, peixe e aldeia
Esta pequena povoação de pescadores está escondida na costa interior da Ilha de Itaparica. Aí fomos alertados pela primeira vez para o mundo anfíbio do manguesal. 
3. A lição do Seu Otávio
Seu Otávio, experiente carpinteiro, agora pescador mas antes homem de todos os ofícios, dá-nos uma lição sobre canoas, velas, técnicas de pesca e peixes. 
4. Interlúdio poético
Nas ondas verdes do mar, meu bem/Ele se foi afogar./Fez sua cama de noivo/ No colo de Iemanjá./É doce morrer no mar,/Nas ondas verdes do mar.
5. Cajaíba – da árvore à canoa
A árvore, transformada em xaboque nas colinas do cerrado, torna-se em canoa no povoado de Cajaíba, no interior do manguesal. O vinhático, madeira ideal, está a esgotar-se. Que será depois? 
6. Seu Romão, o torneador
Nas mãos do torneador, o rude xaboque vira uma esbelta canoa através de uma técnica com raízes históricas profundas. O trabalho do torneador é, afinal, uma obra de arte. 
7. A vida da canoa – Seu Chiquito
As canoas saem do estaleiro pela mão de um comerciante, homem silencioso e criador. Depois fazem sua vida. 
8. Salinas – uma alternativa  moderna?
Mas existirá mesmo uma alternativa para o vinhático? Seu António, em Salinas da Margarida, acha que o futuro é a fibra de vidro. 
9. As canoas como média
Aqui se fala das canoas como extensões da mão do homem – instrumentos de media ção com o mundo. 
10. Um ensaio de ergologia
Pósfacio metodológico onde se esclarece a natureza do exercício ergológico como um encadeamento de triangulações.