A Adesão à Terapêutica em Portugal

A Adesão à Terapêutica em Portugal
Atitudes e comportamentos da população Portuguesa perante as prescrições médicas
Categoria: 
ISBN: 
978-972-671-257-2
Idioma: 
Português
Data de publicação: 
2010/Mar
Nº Páginas: 
139
Coleção: 
Colecção Geral
Formato: 
Capa Mole
12,99 €11,69 €

A adesão à terapêutica é uma questão vital para garantir a plena eficácia dos medicamentos em benefício dos doentes. É também importante para o desempenho dos profissionais de saúde e do próprio sistema de saúde, no sentido de melhorar simultaneamente a eficácia das terapêuticas e a eficiência dos investimentos, proporcionando melhores ganhos de saúde e mais qualidade de vida. Assim, entendeu oportunamente a APIFARMA – Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica promover este estudo – inédito em Portugal –, a fim de conhecermos melhor as atitudes e comportamentos da população portuguesa perante as prescrições médicas, os hábitos de saúde e a utilização de medicamentos, segundo os seus atributos sociodemográficos bem como os diferentes tipos e gravidade das doenças. Apesar do carácter técnico da temática, procurámos torná-la acessível a todo o público interessado, em particular aos profissionais de saúde e da comunicação social, bem como aos cientistas sociais em geral.
 

 

Apresentação p.13
Capítulo 1 - Enquadramento teórico-metodológico  p.17
Capítulo 2 - Opiniões sobre o cumprimento das prescrições médicas p.33
Capítulo 3 - Estado e hábitos de saúde  p.51
Capítulo 4 - Consumo de medicamentos p.63
Capítulo 5 - Adesão à terapêutica p.79
Capítulo 6 - Avaliação da terapêutica  p.101
Capítulo 7 - Relação entre pacientes, médicos e farmacêuticos p.111
Conclusão p.127
Bibliografia p.137

 

Manuel Villaverde Cabral, doutorado em História pela EHESS – Universidade de Paris I, é vice-reitor da Universidade de Lisboa e investigador coordenador do ICS-UL. Actualmente interessa-se pela sociologia das atitudes e comportamentos políticos, nomeadamente o exercício da cidadania democrática nas suas relações com a história política portuguesa e com a estratificação e a equidade sociais.
Pedro Alcântara da Silva é licenciado em Sociologia pelo ISCTE, possui pós-graduação em Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação e está a concluir o doutoramento no mesmo Instituto sobre o debate sociopolítico do sistema de saúde na imprensa escrita (de 1990 a 2004). Tem desenvolvido trabalho de investigação no ICS desde a pesquisa que deu origem ao livro Saúde e Doença em Portugal (Imprensa de Ciências Sociais, 2002). Os seus interesses de investigação centram-se no domínio da sociologia da saúde e da comunicação, estando presentemente envolvido em diversos projectos relacionados com estas temáticas.