A Revolução de 1820. Leituras e Impactos

A Revolução de 1820. Leituras e Impactos
Categoria: 
ISBN: 
978-972-671-703-4
Idioma: 
Espanhol, Português
Data de publicação: 
2022/Sep
Dimensão: 
23x15
Nº Páginas: 
846
Coleção: 
Colecção Geral
Formato: 
Capa Mole
25,00 €22,50 €

Este livro reúne uma seleção de textos apresentados no Congresso Internacional do Bicentenário da Revolução de 1820 que decorreu em Lisboa, na Assembleia da República e na Fundação Calouste Gulbenkian, entre os dias 11 e 13 de outubro de 2021. No seu conjunto, estes textos enquadram uma diversidade e pluralidade de leituras sobre a Revolução de 1820 e sobre os seus múltiplos impactos, designadamente nos planos político, social e institucional, tanto ao nível nacional como internacional.

São leituras e impactos que prolongam e reinventam abordagens relativas a um período histórico crucial para a compreensão do mundo contemporâneo, aberto pela era das revoluções em que se inscreve o movimento regenerador vintista. Neste sentido, o livro abre perspetivas inovadoras que constituem, para os organizadores desta edição, a melhor forma de assinalar o significado duradouro, os legados e a memória de um acontecimento histórico tão marcante como foi a Revolução de 1820.

Miriam Halpern Pereira é professora catedrática emérita de História, Iscte-Instituto Universitário de Lisboa. Investigadora do CIES/Iscte-Instituto Universitário de Lisboa. Diretora dos Arquivos Nacionais entre 2001-2004. Diretora fundadora do CEHC e da revista Ler História. Publicações recentes: Sob Signo da Revolução de 1820: Economia e Sociedade (Assembleia da República, 2020). Gomes Freire e as Vésperas da Revolução de 1820, em colaboração com Ana Cristina Araújo (CML/ BN, 2018) e A Primeira República na Fronteira entre Liberalismo e Democracia (Gradiva, 2016). Recebeu a medalha de mérito científico (MCTES, 2017).

Ana Cristina Araújo é professora associada com agregação na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, investigadora integrada do Centro de História da Sociedade e da Cultura dessa mesma universidade e diretora da Revista de História das Ideias. É autora de numerosos artigos e livros sobre história das ideias e da cultura (séculos XVIII e XIX). Acaba de publicar Resistência Patriótica e Revolução Liberal, 1808-1820 (Imprensa da Universidade de Coimbra, 2022).

Daniel Alves é professor auxiliar no Departamento de História e investigador no Instituto de História Contemporânea (IHC), ambos da NOVA FCSH. Mestre em história do século XIX e doutorado
em história económica e social contemporânea. É editor da revista IJHAC: A Journal of Digital Humanities, publicada pela Edinburgh University Press (https://www.euppublishing.com/loi/ijhac) e editor-chefe da versão portuguesa do The Programming Historian (https://programminghistorian.org/pt/). Coordena o Laboratório de Humanidades Digitais do IHC (http://dhlab.fcsh.unl.pt/), sendo consultor da Infraestrutura Digital de Investigação ROSSIO (https://rossio.fcsh.unl.pt/). É atualmente subdiretor adjunto para as infraestruturas tecnológicas e transição digital da NOVA FCSH.
 

Jorge Fernandes Alves, investigador do Centro de Investigação Transdisciplinar Cultura, Espaço e Memória. Professor Catedrático (aposentado) do Departamento de História e de Estudos Políticos e Internacionais da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Investiga nas áreas da história económica e social e história política. Tem publicações sobre migrações, empresas e empresários, poder local, instituições de saúde, de ensino e associações.

José Luís Cardoso é investigador coordenador do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa e sócio efetivo da Academia das Ciências de Lisboa. Tem vasta obra publicada internacionalmente sobre temas de história do pensamento económico português em perspetiva comparada. É autor de diversos ensaios de história política, económica e intelectual sobre o período final do absolutismo e génese do liberalismo em Portugal. Publicou recentemente Manuel Fernandes Tomás. Escritos Políticos e Discursos Parlamentares (1820-1822) (Imprensa de Ciências Sociais, 2020).

Maria Alexandre Lousada, licenciada em história e doutorada em geografia (geografia histórica) pela Universidade de Lisboa. Professora da área de história na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, e diretora do curso de doutoramento da mesma Faculdade. Investigadora do Centro de História da Faculdade de Letras e do Centro de Estudos Geográficos, ambos da Universidade de Lisboa. A sua investigação tem por objeto a construção da sociedade contemporânea portuguesa, tendo-se centrado no estudo das sociabilidades e do associativismo, da contrarrevolução, da produção do espaço urbano e dos primórdios do turismo em Portugal.

Zília Osório de Castro, investigadora integrada no Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais, NOVA FCSH e professora catedrática jubilada dessa mesma universidade. Dedicou-se à investigação e docência sobretudo da história das ideias políticas dos séculos XVIII e XIX e nos últimos anos aos estudos sobre as mulheres, tendo publicado em ambos os âmbitos. Foi diretora adjunta da revista Cultura. História e Filosofia e fundadora e diretora de Faces de Eva. Estudos sobre a Mulher.