A Sombra das Ditaduras

A Sombra das Ditaduras
A Europa do Sul em Comparação
ISBN: 
978-972-671-316-6
Idioma: 
Português
Data de publicação: 
2013/Jan
Dimensão: 
23x15
Nº Páginas: 
244
Coleção: 
Colecção Geral
Formato: 
Capa Mole
18,00 €16,20 €

Nos últimos anos, a agenda de «como lidar com o passado» tem vindo a ser cada vez mais associada à qualidade das democracias contemporâneas. Vários anos após o colapso das ditaduras do século XX, as democracias consolidadas decidem revisitar o seu passado, quer de forma simbólica, para superar legados históricos, quer, por vezes, adotando medidas de retribuição, para punir as elites associadas aos regimes autoritários que as precederam. Novos factores como a cena internacional, a condicionalidade, as clivagens partidárias, os ciclos da memória, comemorações, ou as políticas de perdão trazem o passado de volta à arena política.
Este livro analisa as formas de justiça transicional que estiveram presentes nos processos de democratização na Europa do Sul, numa perspetiva comparada, analisando-os como parte integrante das «politicas do passado»: um processo dinâmico em que elites e sociedade reveem, negoceiam e muitas vezes disputam narrativas concorrentes sobre o passado autoritário e as injustiças passadas, em termos daquilo que esperam alcançar na qualidade presente e futura das suas democracias.
 

 

Apresentação p.15
Capítulo 1 - O passado autoritário e as democracias da Europa do Sul: uma introdução 
António Costa Pinto
p.19
Capítulo 2 - Justiça transicional e memória: exploração de perspetivas 
Alexandra Barahona de Brito
p.41
Capítulo 3 - O passado fascista e a democracia em Itália
Marco Tarchi
p.65
Capítulo 4 - Partidos políticos e justiça transicional em Portugal: o caso da polícia política (1974-1976)
Filipa Raimundo
p.87
Capítulo 5 - Atitudes partidárias e passado autoritário na democracia espanhola
Carsten Humlebæk
p.121
Capítulo 6 - Legados repressivos e a democratização dos sistemas policiais nos países ibéricos
Diego Palacios Cerezales
p.141
Capítulo 7 - O passado autoritário e a democracia grega contemporânea
Dimitri A. Sotiropoulos 
p.167
Capítulo 8 - A política do passado: América Latina e Europa do Sul em perspetiva comparada
Alexandra Barahona de Brito e Mario Sznajder
p.189
Capítulo 9 - Legados autoritários, política do passado e qualidade da democracia na Europa do Sul 
Leonardo Morlino
p.213
Índice remissivo  p.239

 

António Costa Pinto, investigador coordenador no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa. As suas obras têm incidido sobretudo sobre o autoritarismo e fascismo, as transições democráticas  e a "justiça de transição"  em Portugal e na Europa. A longevidade do Estado Novo português levou-o inicialmente ao estudo comparado dos sistemas autoritários. Mais recentemente dedicou-se ao estudo do impacto da União Europeia na Europa do Sul. Outro tema a que se tem dedicado é o das elites políticas e as mudanças de regime. É autor de mais de 50 artigos em revistas académicas portuguesas e internacionais. Foi consultor científico do Museu da Presidência da República portuguesa e tem colaborado regularmente na imprensa, rádio e televisão.  

«Este livro é uma contribuição importante para a nossa reflexão sobre como as elites e as instituições debatem, reconstroem e reconciliam passados autoritários em novas democracias. Da introdução à conclusão, esta obra ensina-nos lições importantes que vão para além da Europa do Sul e da Política Comparada.»

Nancy Bermeo, professora de Politica Comparada, Nuffield College, Universidade de Oxford