Os Portugueses e os Novos Riscos

Os Portugueses e os Novos Riscos
Categoria: 
ISBN: 
978-972-671-205-3
Idioma: 
Português
Data de publicação: 
2007/Dec
Nº Páginas: 
297
Coleção: 
Estudos e Investigações
Formato: 
Capa Mole
20,50 €18,45 €

Este trabalho, desenvolvido no quadro do programa OBSERVA do ICS e do ISCTE, serve para melhor compreender a relação entre a nossa sociedade e os novos riscos — ambientais, de saúde publica e alimentares —, assim como as implicações das controvérsias na forma como os riscos são definidos, avaliados e geridos. Para o efeito, foram seleccionados três casos emblemáticos ocorridos recentemente em Portugal: o surto da BSE, a polémica em torno da co-incineração de resíduos industriais e o caso da gestão do urânio empobrecido. O Livro analisa os processos de identificação dos riscos por parte das populações e discute o papel exercido por peritos, políticos, agentes económicos e pelos media. Quem maximizou e quem minimizou a importância desses riscos? Como foram demarcadas as fronteiras entre a ciência e a política? Quem participou na avaliação e na gestão dos riscos? Quem definiu as estratégias acordadas? E, no final de contas, as instituições que se viram envolvidas nestes processos souberam extrair as devidas lições das experiências?

Maria Eduarda Gonçalves
Investigadora. Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa

 

Introdução p.11
Capítulo 1 - Crónica de uma crise anunciada: a BSE entre incerteza científica, controvérsia pública e inércia política  p.21
Capítulo 2 - Riscos da co-incineração ou co-incineração dos riscos? Análise das controvérsias sobre resíduos industriais perigosos p.49
Capítulo 3 - Riscos de guerra em missões de paz: o caso da contaminação com urânio empobrecido e a «síndrome dos Balcãs»  p.75
Capítulo 4 - Entre incertezas e divergências: a ciência e a avaliação do risco  p.107
Capítulo 5 - A política do risco: entre gestão de crises e regulação de processos  p.139
Capítulo 6 - Consumidores, pacientes, activistas, cidadãos: representação e participação do público na gestão do risco  p.169
Capítulo 7 - Informação ou dramatização do risco: os media e os novos riscos  p.217
Capítulo 8 - Os Portugueses e os novos riscos: resultados de um inquérito  p.245
Conclusão p.275
Referências bibliográficas p.287

 

Ana Delicado, socióloga, Investigadora Auxiliar do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa e vice-coordenadora do Observa. Trabalha principalmente na área dos estudos sociais de ciência. Tem desenvolvido multiplas atividades de envolvimento do público com as ciências sociais.

Cristiana Bastos  (PhD CUNY 1996) é antropóloga e o seu trabalho intersecta as disciplinas de antropologia, história e estudos sociais de ciência, tecnologia e medicina. É investigadora do quadro do Instituto de Ciências Sociais, onde coordena o Grupo de Investigação Identidades, Culturas, Vulnerabilidades. Em projectos anteriores investigou dinâmicas de população, mobilidades transnacionais, biopolíticas coloniais, medicina e império, história social da saúde e bem-estar, com pesquisa de campo e arquivo em Portugal, Brasil, Estados Unidos, India e Moçambique. Actualmente coordena o projectoThe Colour of Labour(ERC AdG 695573),onde está directamente envolvida nas linhas de pesquisa sobre a Guiana, Hawaii, Nova Inglaterra e Angola.