Militantes e Ativismo nos Partidos Políticos

Militantes e Ativismo nos Partidos Políticos
Portugal em Perspetiva Comparada
ISBN: 
978-972-671-395-1
Idioma: 
Português
Data de publicação: 
2017/Jun
Dimensão: 
23x15
Nº Páginas: 
290
Coleção: 
Colecção Geral
Formato: 
Capa Mole
20,50 €18,45 €

O espaço de relação dos partidos com a sociedade passa, necessariamente, pela filiação partidária como objeto e sujeito da política, da organização civil e do regime político, democrático ou não. Apesar da sua importância vital para o funcionamento dos sistemas políticos, a filiação partidária constitui-se um dos elos frágeis e, tendencialmente em declínio, da vida política. Esta obra partiu do objetivo genérico de identificar e avaliar a natureza da atividade de filiação partidária, à luz de um conjunto de dimensões, como sejam: a evolução da atividade partidária, em Portugal, numa perspetiva comparada; os moldes de relação dos filiados com os partidos, incluindo o seu posicionamento ideológico; a socialização partidária, tendo em conta as perspetivas de vínculo e continuidade da atividade através dos seus agentes principais, os filiados, e dos partidos como instituição e estrutura política, de entre várias linhas de análise aprofundadas. A obra resulta da aplicação de estudo internacional que envolve vários países, no âmbito do projeto MAPP (Members and Activists of Political Parties), coordenado por Emilie van Haute, da Universidade Livre de Bruxelas. Apoiando-se em dados recolhidos através de inquéritos aos filiados dos partidos políticos, esta obra apresenta o primeiro estudo sistemático sobre ativismo e militância partidária em Portugal.

 

Introdução

Marco Lisi e Paula do Espírito Santo

p.17

1. A evolução da militância em Portugal: enquadramento legal e tendências longitudinais

Sérgio de Almeida Correia

p. 29

2. O declínio da filiação partidária em Portugal: respostas e estratégias das lideranças partidárias

Júlio Fazendeiro

p. 69

3. Filiados e ativismo partidário em Portugal: enquadramento teórico e características do inquérito

Marco Lisi, Paula do Espírito Santo e Bruno Ferreira Costa

p. 99

4. Ativismo e participação nos partidos portugueses

Marco Lisi e João Cancela

p. 125

5. Ideologia, cultura política e posições programáticas: as preferências dos filiados

Marco Lisi e Ekaterina Gorbunova

p. 155

6. A democracia intrapardidária em Portugal: uma análise comparada das perceções dos filiados do BE, CDS-PP, LIVRE, PS e PSD

Edalina Sanches e Isabella Razzuoli

p. 187

7. Padrões de comunicação interna nos partidos políticos portugueses: o caso do PSD, PS e CDS-PP

Rita Figueiras e Jaime R. S. Fonseca

p. 213

8. Filiados e ativistas partidários em perspetiva comparada

Anika Grauja e Emilie Van Haute

p. 247

9. Filiação partidária: desafios e notas finais

Paula do Espírito Santo e Marco Lisi

p. 271

 

Marco Lisi é professor auxiliar no Departamento de Estudos Políticos da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (FCSH-UNL) e investigador no Instituto Português de Relações Internacionais da Universidade Nova de Lisboa (IPRI-UNL). Os seus principais interesses de investigação são partidos políticos, eleições, representação política e campanhas eleitorais, sobre os quais tem publicado vários livros e artigos em revistas nacionais e internacionais.

Paula do Espírito Santo é professora auxiliar com agregação no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, da Universidade de Lisboa (ISCSP-ULisboa) e investigadora do Centro de Administração e Políticas Públicas (CAPP/ISCSP-ULisboa). Colabora ainda como docente em outras universidades nacionais e no estrangeiro. As suas áreas de investigação e interesse centram-se no estudo da cultura política e filiação partidária, para além da comunicação política e metodologia das ciências sociais.