Folhas Ultras

Folhas Ultras
As ideias da direita radical Portuguesa (1939-1950)
Autor(es): 
ISBN: 
978-972-671-253-4
Idioma: 
Português
Data de publicação: 
2009/Dec
Nº Páginas: 
254
Coleção: 
Colecção Breve
Formato: 
Capa Mole
15,00 €13,50 €

O nacionalismo em Portugal, difuso e coeso durante a consolidação do Estado Novo, é abalado pelo eclodir da Segunda Guerra Mundial e o seu desfecho. Apesar disso, há uma jovem geração que se radicaliza graças a Alfredo Pimenta, polémico intelectual que se solidariza com o fascismo e o nacional-socialismo, considerado um mestre para esta direita radical. O ponto de encontro desta área que se coloca ao lado dos derrotados é o semanário A Nação, dirigido por José O’Neill, ao qual se seguirá o quinzenário Mensagem, animado pelos jovens neofascistas da Universidade de Coimbra e dirigido por Caetano de Melo Beirão. Pela análise destas publicações e a influência e colaboração de Alfredo Pimenta, encontramos nestas «Páginas Ultras» a resposta à questão: quem que estava mais à direita do Estado Novo nos anos 40 e 50?

 

Introdução p.13
I - Alfredo Pimenta nos anos da Segunda Guerra Mundial p.31
II - A Nação (1946-1948): uma história da direita radical  p.79
III - A Nação: doutrina p.97
IV - A colaboração de Alfredo Pimenta em A Nação p.153
V - Mensagem (1946-1950): o berço da primeira geração   neofascista p.175
VI - A Mensagem e Alfredo Pimenta p.207
Conclusões p.221
Bibliografia p.233
Índice remissivo p.247

 

Riccardo Marchi, investigador de pós-doutoramento do Centro de Estudos Internacionais do Instituto Universitário de Lisboa (CEI-IUL) e professor auxiliar convidado do ISCTE-IUL. Doutorado em História Moderna e Contemporânea, trabalhou no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa (ICS-UL) e foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian. Os seus interesses de investigação centram-se nas ideias, movimentos e partidos da direita radical europeia na época contemporânea.