Salazarismo e Cultura Popular (1933-1958)

Salazarismo e Cultura Popular (1933-1958)
Autor(es): 
Categoria: 
ISBN: 
978-972-671-075-2
Idioma: 
Português
Data de publicação: 
2013/Dec
Nº Páginas: 
389
Coleção: 
Estudos e Investigações
Formato: 
Capa Mole
20,41 €18,37 €

A política cultural do Estado Novo tinha subjacente a vontade de transformar a cultura do povo. A sua intervenção fez-se sentir sobretudo nas Casas do Povo, nos ranchos folclóricos, no artesanato, nos museus etnográficos, na literatura popular e nas marchas populares (criadas em Lisboa mas depois disseminadas por todo o país, incluindo as colónias).
O autor procura demonstrar que o salazarismo promoveu um modelo ruralista, tradicionalista e nacionalista de cultura popular, com o duplo objectivo de se legitimar e de estabelecer um consenso em torno do universo de valores que, na sua óptica, enformavam a identidade portuguesa. Apesar disso, o associativismo popular livre resistiu ao programa autoritário do regime, tal como o comprova o estudo de caso da Federação Portuguesa das Colectividades de Cultura e Recreio.

 

 

Siglas p.13
Preâmbulo p.15
Introdução p.17
Capítulo 1 - Caracterização da problemática do popular: estado actual da investigação p.27
Capítulo 2 - O discurso sobre a cultura popular: análise das representações oficiais p.47
Capítulo 3 - Abordagem das práticas culturais no plano corporativo p.107
Capítulo 4 - Abordagem das práticas culturais no plano não corporativo p.203
Capítulo 5 - Repressão da concorrência não consentida p.315
Conclusão p.363
Fontes e bibliografia p.367
Índice remissivo p.383

 

Este trabalho obteve o Prémio de História Contemporânea «Victor de Sá», atribuído pela Universidade do Minho em 1998.