Fronteiras da Posse

Fronteiras da Posse
Portugal e Espanha na Europa e na América
Autor(es): 
Categoria: 
ISBN: 
978-972-671-467-5
Idioma: 
Português
Data de publicação: 
2018/Jan
Dimensão: 
23x15
Nº Páginas: 
413
Coleção: 
Colecção Geral
Formato: 
Capa Mole
25,00 €22,50 €

Fronteiras da Posse questiona como foram estabelecidos os limites territoriais na Europa e na América, da Idade Média à Idade Moderna. Desafia a ideia de que a guerra e a diplomacia determinavam as fronteiras nacionais, estudando, ao invés, a negociação e a implementação dos direitos de propriedade no seio de populações que recordavam antigas ou imaginavam novas posses: agricultores, nobres, religiosos, missionários, povoadores e povos indígenas. Herzog demonstra que as mesmas questões fundamentais tinham de ser abordadas dos dois lados do Atlântico, e que o controlo territorial se sujeitou sempre a negociações, à medida que vizinhos e estrangeiros, amigos e inimigos, em interacções quotidianas, se autodefiniam enquanto definiam os territórios das suas comunidades.

 

Introdução p. 17
Parte I A definição de espaços imperiais: como a América do Sul se tornou num território disputado p. 35
1. Tradições europeias: bulas, tratados, posse e vassalagem p. 47
2. Europeus e índios: conversão, submissão e direitos da terra p. 113
Parte II A deginição de espaços europeus: a construção de Espanha e de Portugal na Ibéria p. 205
3. Lutar com uma hidra: 1290-1955 p. 227
4. Ilhas em movimento num mar de terra: 1518-1864 p. 287
Conclusão p. 351
Bibliografia p. 383

 

 

Tamar Herzog ocupa a cátedra Monroe Gutman de Estudos Latino-Americanos em Harvard (EUA) e é asociated faculty member da Harvard Law School. O seu trabalho centra-se nas relações entre Espanha, Portugal, e as Américas espanhola e portuguesa, e sobre as transformações ocorridas nas sociedades ibéricas na sequência dos seus respectivos  projectos coloniais. 

 

Recensão | Langfur, Hal (2016),  In Journal of Interdisciplinary History 47, no. 1, pp. 106-107.

Recensão | De Avilez Rocha, G. (2017), Law and History Review, 35(2), 545-547. doi:10.1017/S0738248017000116

Recensão | Brockey, Liam Matthew (2016), Luso-Brazilian Review, 53 (2), pp. 5-7.

Recensão | Alencar, Raúl (2016), RIRA vol. 1, n° 2,  pp. 217-219.

Recensão | Moura, Denise Aparecida Soares de (2016), Rev. Hist. (São Paulo), n. 175, p. 465-473.  http://dx.doi.org/10.11606/issn.2316-9141.rh.2016.119333

Recensão | Castillo, Lina del  (2016),  Contra Corriente, 13(2), pp. 342-346.

Recensão | Vidal,  Laurent (2016), The American Historical Review, Vol 121(5),  page 1752, https://doi.org/10.1093/ahr/121.5.1752

Recensão | MacLachlan, Colin M., European History Quarterly, 46(1), pp. 139-140

Recensão | Lopes, Jonathan Felix Ribeiro (2016), Revista Territórios & Fronteiras, vol. 9 (1), pp. 309-313.