Rotinas, reflexividade e mudança no consumo de energia associado ao uso dos media electrónicos pelos adolescentes em tempo de escassez

Rotinas, reflexividade e mudança no consumo de energia associado ao uso dos media electrónicos pelos adolescentes em tempo de escassez

Os jovens têm uma relevância crescente enquanto consumidores e agentes activos nas famílias e na sociedade. Apesar de haver um número considerável de estudos que mostram a relevância e as consequências dos seus processos de socialização, a atenção dada ao seu consumo de energia é ainda escassa. Além disso, na medida em que os adolescentes reproduzem nas suas vidas quotidianas valores dominantes, tais como os da cultura de consumo, assim como transformações sociais e culturais de vanguarda, a análise das suas práticas fornece perspectivas valiosas sobre a emergência de mudanças no consumo de energia.
Um tipo de consumo energético que tem crescido significativamente, estimando-se que venha a tornar-se uma parte substancial da electricidade usada em casa, relaciona-se com o uso de media electrónicos. Embora tenha sido observado que mudanças nas práticas quotidianas relacionadas com estas tecnologias podem aumentar consideravelmente a energia consumida, o impacto energético do seu uso na vida quotidiana não foi ainda adequadamente estudado.
Uma vez que os jovens tendem a ser responsáveis por parte significativa dos consumos energéticos das famílias, em larga medida devido ao uso intensivo de tecnologias de informação e comunicação, este projeto tem como objetivo principal analisar as tendências atuais de evolução das práticas quotidianas dos jovens associadas aos media eletrónicos num contexto de escassez económica. Dada a relevância que as práticas de consumo assumem como forma de expressão identitária durante a adolescência, bem como a centralidade que estas tecnologias adquiriram no quotidiano dos adolescentes, o projeto centra-se nesta faixa etária.
Propõe-se a adoção de uma abordagem inovadora, baseada na teoria das práticas, que apresenta vantagens analíticas relativamente a outras abordagens ao permitir relacionar as ações da vida quotidiana dos indivíduos com os sistemas sociotécnicos e as infraestruturas, de modo a compreender melhor a complexidade dos processos de mudança e continuidade. Nesta perspetiva, as práticas de consumo de energia através dos media eletrónicos são analisadas como entidades construídas historicamente, moldadas por infraestruturas materiais e disposições institucionais e quotidianamente apropriadas pelos indivíduos de acordo com as suas interpretações do que é normal e aceitável.
A metodologia proposta tem um carácter qualitativo, incluindo entrevistas em profundidade com jovens e entrevistas com os seus grupos de amigos.
Os resultados do projeto irão contribuir para o desenvolvimento do conhecimento sobre as práticas de consumo dos adolescentes, especialmente em contextos de escassez económica. No final do projeto a devolução dos resultados à população analisada poderá contribuir para a reflexividade dos jovens sobre os seus consumos energéticos e eventuais mudanças nas suas práticas no sentido da redução ou eficiência. Os resultados poderão também informar o desenho de políticas públicas que tenham como objetivo promover a redução do consumo de energia.

Projeto Rotinas, reflexividade e mudança no consumo de energia associado ao uso dos media eletrónicos pelos adolescentes em tempo de escassez - EXPL/IVC-SOC/2340/2013 - Financiado pela FCT

Estatuto: 
Entidade proponente
Financiado: 
Sim
Entidades: 
Fundação para a Ciência e Tecnologia
Keywords: 

Consumo de energia, Media electrónicos, Prácticas, Jovens

Os jovens têm uma relevância crescente enquanto consumidores e agentes activos nas famílias e na sociedade. Apesar de haver um número considerável de estudos que mostram a relevância e as consequências dos seus processos de socialização, a atenção dada ao seu consumo de energia é ainda escassa. Além disso, na medida em que os adolescentes reproduzem nas suas vidas quotidianas valores dominantes, tais como os da cultura de consumo, assim como transformações sociais e culturais de vanguarda, a análise das suas práticas fornece perspectivas valiosas sobre a emergência de mudanças no consumo de energia.
Um tipo de consumo energético que tem crescido significativamente, estimando-se que venha a tornar-se uma parte substancial da electricidade usada em casa, relaciona-se com o uso de media electrónicos. Embora tenha sido observado que mudanças nas práticas quotidianas relacionadas com estas tecnologias podem aumentar consideravelmente a energia consumida, o impacto energético do seu uso na vida quotidiana não foi ainda adequadamente estudado.
Uma vez que os jovens tendem a ser responsáveis por parte significativa dos consumos energéticos das famílias, em larga medida devido ao uso intensivo de tecnologias de informação e comunicação, este projeto tem como objetivo principal analisar as tendências atuais de evolução das práticas quotidianas dos jovens associadas aos media eletrónicos num contexto de escassez económica. Dada a relevância que as práticas de consumo assumem como forma de expressão identitária durante a adolescência, bem como a centralidade que estas tecnologias adquiriram no quotidiano dos adolescentes, o projeto centra-se nesta faixa etária.
Propõe-se a adoção de uma abordagem inovadora, baseada na teoria das práticas, que apresenta vantagens analíticas relativamente a outras abordagens ao permitir relacionar as ações da vida quotidiana dos indivíduos com os sistemas sociotécnicos e as infraestruturas, de modo a compreender melhor a complexidade dos processos de mudança e continuidade. Nesta perspetiva, as práticas de consumo de energia através dos media eletrónicos são analisadas como entidades construídas historicamente, moldadas por infraestruturas materiais e disposições institucionais e quotidianamente apropriadas pelos indivíduos de acordo com as suas interpretações do que é normal e aceitável.
A metodologia proposta tem um carácter qualitativo, incluindo entrevistas em profundidade com jovens e entrevistas com os seus grupos de amigos.
Os resultados do projeto irão contribuir para o desenvolvimento do conhecimento sobre as práticas de consumo dos adolescentes, especialmente em contextos de escassez económica. No final do projeto a devolução dos resultados à população analisada poderá contribuir para a reflexividade dos jovens sobre os seus consumos energéticos e eventuais mudanças nas suas práticas no sentido da redução ou eficiência. Os resultados poderão também informar o desenho de políticas públicas que tenham como objetivo promover a redução do consumo de energia.

Projeto Rotinas, reflexividade e mudança no consumo de energia associado ao uso dos media eletrónicos pelos adolescentes em tempo de escassez - EXPL/IVC-SOC/2340/2013 - Financiado pela FCT

Objectivos: 
O principal objectivo deste projecto é compreender o consumo de energia dos adolescentes relacionado com a utilização dos media electrónicos, a sua reflexividade a esse respeito e os processos de mudança e continuidade nestas práticas durante tempos de escassez económica. O plano de investigação pretende: identificar as rotinas diárias dos adolescentes relativas à utilização de tecnologias de informação e comunicação, bem como os modos como estas estão interrelacionadas com outras actividades; determinar o conhecimento dos adolescentes acerca do consumo de energia destas tecnologias; identificar as formas de envolvimento dos adolescentes relativamente aos media electrónicos; caracterizar as configurações e arranjos do consumo de energia através destas tecnologias pelos adolescentes; identificar as interacções sociais dos adolescentes relacionadas com estas tecnologias.
State of the art: 
Few sociological studies have analyzed young people as energy consumers. Yet, young people have increased their energy consumption significantly over the past decades due to their use of energy intensive devices, such as information and communication technologies (ICT) and motorized transportation, and their washing and cleaning practices. According to research carried out by members of the team, both teenagers' energy spending at home and their strong engagement with entertainment equipments and mobile communication are acknowledged by Portuguese families. The use of electronic media by young people does play a significant role in their lives, due to wide access to these technologies, the time daily spent using it and what it means in terms of social connections, entertainment, information, education and even status or prestige among peer groups [11] [12]. Regarding these technologies' implications on energy consumption, very few studies have approached their daily use in households. Some exceptions are a study by [4] in which material structures such as design and marketing of consumer electronics, and also the services which support them, are found to encourage practices of intensive consumption of energy. Another study by [6] found that to prevent the predictable rise in electricity consumption due to ICT use, there is a need for much more user involvement in energy-saving strategies. Furthermore, [13] observed that engagement towards reducing standby energy consumption emerges out of social relationships and the motivation can be related to economic or environmental concerns.</p><p>Most studies on youth and energy draw from environmental education research, focusing on individual attitudes and energy literacy. In such perspective, young people's environmental awareness and knowledge on energy issues tend to be considered levers for the development of a capacity for agency towards energy saving [10]. Yet, despite exhibiting high levels of concern about environmental issues, young people increasingly show a 'paralysis of action and sense of powerlessness' regarding their agency towards environmental change [14]. As [15] states, this gap between environmental attitudes and behaviors represents a failure in most current policies and models of social change, which are based on the assumption that the adoption of pro-environmental behaviors depends on individuals' attitudes and rational choices. A valuable contribute from sociology to help to overcome this focus on individual attitudes may be a focus on social practices, as it shifts attention from the individuals' agency and choice to the processes whereby structural elements such as materials (things, technologies, physical entities), competences (skills, know-how, techniques), and meanings (symbolic, ideas, aspirations) are connected and enacted in the form of patterns of practices, allowing to explain the dynamics of reproduction and transformation of social practices [16]. This is an emerging fruitful approach to the study of consumption and pro-environmental behavior change, as it tries to overcome the duality between agency and structure, avoiding individualistic accounts, and giving wider insights into the complexities of the collective organization of everyday life than other approaches [17] [18] [19] [20]. < Theories of practice are based in the work of [21], [22] and others, which was recently revived with the contributions of [23], [24], [17] and [25]. In this perspective, practices are routinised behaviors composed of several elements interconnected and interwoven with objects, which are carried out by individuals in the course of their normal everyday life [24] [16]. By capturing inconspicuous routines, theories of practice are useful for the analysis of energy consumption in households, as energy is consumed as a mean to accomplishing social practices, and not as a practice itself [17]. Thus, despite the invisibility of energy consumption [26], theories of practice shed light to several structural conditions that contribute to promoting practices, which unwittingly consume too much energy. That is the case of marketing appeals to buying new equipments, often suggesting their energy efficiency disregarding the rebound effects of technology use [27]. These theories also give insights into competences. For instance, as it was observed by members of the team, there are significant gender differences in knowledge on energy issues and know-how on energy saving practices [28]. Regarding the analysis of engagements, youth culture, together with peer pressure and families' support, contribute to attract young people to consumption, as observed in a study on children's food consumption practices [29]. Thus, teenagers' emotional needs and concerns over identity, status and belonging to peer groups may conflict with practices of energy saving, particularly if these deviate from the peer group's norms. Special attention will be given to social interactions around practices related to electronic media. Although social interactions have not been given much attention in theories of practice, recently some authors have underlined the influence of mediators in practices changes, and thus the relevance of adding this component to the analysis of practices [30] [19].
Parceria: 
Não Integrado
Susana Fonseca
Augusta Correia
Coordenador 
Data Inicio: 
01/04/2014
Data Fim: 
31/03/2015
Duração: 
15 meses
Concluído