Letras Sagradas. Clero, livros e cultura escrita em Portugal e no seu Império durante a Época Moderna (1540-1750)

Letras Sagradas. Clero, livros e cultura escrita em Portugal e no seu Império durante a Época Moderna (1540-1750)

Este projecto tem como objectivo analisar o mundo da cultura escrita clerical em Portugal e no seu Império na época moderna, durante o período da Contra-Reforma (1540-1750). Se examinarmos este tema na perspectiva das práticas culturais, dos seus agentes e da circulação dos seus saberes, constatamos que se trata de um mundo mais complexo do que o descrito na literatura. Em primeiro lugar, através do estudo de diferentes bibliotecas (comunitárias, pessoais e virtuais) é possível reconstruir o mundo das leituras do clero secular e regular e identificar os diferentes perfis intelectuais que caracterizavam os agentes clericais. Esta imagem de complexidade será reforçada pelo estudo das práticas de leitura (as modalidades de leitura em voz alta e leitura ritual, a leitura em silêncio usada na meditação, a leitura erudita, etc.) que condicionavam a recepção dos textos a que o clero e as comunidades religiosas tinham acesso. Por fim, a análise das práticas de escrita do clero durante o período da Contra-Reforma, que se centrará em alguns "géneros" religiosos, nomeadamente as narrativas de "identidade" (crónicas, vitae, narrativas de milagres, etc.) irá contribuir para uma melhor compreensão dos diferentes significados das práticas de escrita, das condições materiais associadas ao processo de escrita, das estratégias discursivas e da utilização dos materiais manuscritos e tipográficos na propaganda religiosa. Em conclusão, estes estudos irão permitir a discussão do impacto destas culturas clericais nas experiências imperiais portuguesas.

 

Estatuto: 
Entidade participante
Financiado: 
Não
Keywords: 

Religião, Império, Cultura, Agência

Este projecto tem como objectivo analisar o mundo da cultura escrita clerical em Portugal e no seu Império na época moderna, durante o período da Contra-Reforma (1540-1750). Se examinarmos este tema na perspectiva das práticas culturais, dos seus agentes e da circulação dos seus saberes, constatamos que se trata de um mundo mais complexo do que o descrito na literatura. Em primeiro lugar, através do estudo de diferentes bibliotecas (comunitárias, pessoais e virtuais) é possível reconstruir o mundo das leituras do clero secular e regular e identificar os diferentes perfis intelectuais que caracterizavam os agentes clericais. Esta imagem de complexidade será reforçada pelo estudo das práticas de leitura (as modalidades de leitura em voz alta e leitura ritual, a leitura em silêncio usada na meditação, a leitura erudita, etc.) que condicionavam a recepção dos textos a que o clero e as comunidades religiosas tinham acesso. Por fim, a análise das práticas de escrita do clero durante o período da Contra-Reforma, que se centrará em alguns "géneros" religiosos, nomeadamente as narrativas de "identidade" (crónicas, vitae, narrativas de milagres, etc.) irá contribuir para uma melhor compreensão dos diferentes significados das práticas de escrita, das condições materiais associadas ao processo de escrita, das estratégias discursivas e da utilização dos materiais manuscritos e tipográficos na propaganda religiosa. Em conclusão, estes estudos irão permitir a discussão do impacto destas culturas clericais nas experiências imperiais portuguesas.

 

Objectivos: 
O objectivo geral deste projecto consiste em analisar o mundo da cultura escrita clerical em Portugal e no seu Império na época moderna, durante o período da Contra-Reforma (1540-1750). O projecto tem ainda os seguintes objectivos específicos: <p>i) a identificação dos diferentes perfis intelectuais que caracterizavam os agentes clericais através da análise de diferentes bibliotecas; </p><p>ii) a reconstrução do mundo das leituras do clero secular e regular;</p><p>iii) a reconstrução das práticas de leitura (as modalidades de leitura em voz alta e ritual, a leitura em silêncio usada na meditação, a leitura erudita, etc.) que condicionavam a recepção dos textos;</p><p>iv) uma melhor compreensão dos significados das prática de escrita, das condições materiais associadas ao processo de escrita, das estratégias discursivas e da utilização dos materiais manuscritos e tipográficos na propaganda religiosa, recorrendo à análise, centrada nas narrativas de "identidade", das práticas de escrita de alguns membros do clero;</p><p>v) o estudo do impacto da escrita clerical na construção das experiências imperiais portuguesas.</p>
State of the art: 
<p>During the last two decades, among the Cultural History discussions, the history of book and of reading practices has had an important development. Authors such as R. Chartier, D.F. McKenzie, A.</p><p>Petrucci or R. Darton allowed a more complex understanding of the &laquo;texts&raquo;, discussing their material and discoursive nature, their contexts of production, their circulation and reception, as well as the cultural practices created by them. These perspectives had a deep impact in the Spanish historiography, where different lines of research developed in the last years. In Portugal, the works of J.A. Carvalho, J.L. Lisboa, A. Anselmo, D.R. Curto, M. de L. Fernandes or R. Marquilhas have also given important contributes in order to identify the landscape of production, reading and circulation of texts during the early-modern period. However, the literature that combines these themes and perspectives with the clergy and the broader space of empire is almost inexistent. This research project will therefore contribute to enlarge the knowledge on these topics, at the same time that will integrate the Portuguese cultural experiences in a wider world and the international debates</p><p>Selected readings:</p><p>ANSELMO, Artur, Estudos de Hist&oacute;ria do Livro, Lisboa, 1997.</p><p>BOUZA, Fernando, El libro y el cetro. La biblioteca de Felipe IV en la Torre Alta del Alc&aacute;zar, Salamanca, 2006.</p><p>BOUZA, Fernando, Corre manuscrito. Una historia cultural del Siglo de Oro. Madrid. 2001.</p><p>CARVALHO, Jos&eacute; A. de Freitas, Lectura espiritual en la Pen&iacute;nsula Ib&eacute;rica (Siglos XVI-XVII). Programas, recomendaciones, lectores, tiempos y lugares, Salamanca, 2007.</p><p>CARVALHO, Jos&eacute; A. de Freitas (dir.), Nobres leteras... Fermosos volumes... Invent&aacute;rios das bibliotecas dos franciscanos observantes em Portugal no s&eacute;culo XV. Os tra&ccedil;os de uni&atilde;o das reformas peninsulares, Oporto, 1995.</p><p>CASTILLO G&Oacute;MEZ, Antonio (ed.), Libro y lectura en la Pen&iacute;nsula Ib&eacute;rica y Am&eacute;rica. Siglos XIII al XVIII. Salamanca, 2003.</p><p>CASTILLO G&Oacute;MEZ, Antonio (comp.), Escribir y leer en el siglo de Cervantes, Barcelona, 1999.</p><p>C&Aacute;TEDRA, Pedro M.; L&Oacute;PEZ-VIDRIERO, Mar&iacute;a Luisa (dirs.), La memoria de los libros. Estudios sobre la historia del escrito y de la lectura en Europa y Am&eacute;rica, Salamanca: 2004.</p><p>CAVALLO, Guglielmo; CHARTIER, Roger, (dirs.), Historia de la lectura en el mundo occidental, Madrid, 1998</p><p>CURTO, Diogo Ramada, Cultura escrita. S&eacute;culos XV-XVIII, Lisboa, 2007.</p><p>CHARTIER, Roger, Escribir las pr&aacute;cticas. Foucault, De Certeau, Marin, Buenos Aires, 1996.</p><p>CHARTIER, Roger, L'ordre des livres: lecteurs, auteurs et biblioth&egrave;ques en Europe entre XIVe et XVIIIe si&egrave;cles, Aix-en-Provence, 1992.</p><p>DARNTON, Robert, Gens de lettres, gens du livre, Par&iacute;s, 1992.</p><p>DOMPNIER, Bernard; FROESCHL&Eacute;-CHOPARD, Marie-H&eacute;l&egrave;ne (eds.), Les religieux et leurs livres &agrave; l'&eacute;poque moderne, Clermont-Ferrand, 2000.</p><p>FERNANDES, Maria de Lurdes C., Espelhos, cartas e guias de casamento e espiritualidade na Peninsula Iberica, 1450-1700, Oporto, 1995.</p><p>GONZ&Aacute;LEZ S&Aacute;NCHEZ, Carlos Alberto, Los mundos del libro. Medios de difusi&oacute;n de la cultura occidental en las Indias de los siglos XVI y XVII, Sevilla, 1999.</p><p>GRUZINSKI, Serge, Les quatres parties du monde. Histoire d'une mondialisation, Par&iacute;s, 2004.</p><p>LEONARD, Irving A., Los libros del conquistador, M&eacute;xico, 1953.</p><p>LISBOA, Jo&atilde;o Lu&iacute;s, Mot(dits) &eacute;crits: formes et valeurs de la diffusion des id&eacute;es au 18e si&egrave;cle au Portugal, Florencia, 1998 </p><p>MARQUILHAS, Rita, A Faculdade das Letras. Leitura e escrita em Portugal no s&eacute;culo XVII, Lisboa, 2000.</p><p>MCKENZIE, Donald F., Bibliograf&iacute;a y sociolog&iacute;a de los textos, Madrid: 2005..</p>
Parceria: 
Não Integrado
Coordenador 
Data Inicio: 
01/11/2008
Data Fim: 
01/11/2011
Duração: 
36 meses
Concluído