A diversidade de relacionamentos casuais e suas implicações para o uso da protecção sexual

A diversidade de relacionamentos casuais e suas implicações para o uso da protecção sexual

O uso do preservativo diminui à medida que o relacionamento passa de novo/casual a regular. As explicações enfatizam o papel da longevidade do relacionamento no aumento da intimidade e confiança entre os parceiros. Contudo, as taxas de uso do preservativo nos relacionamentos casuais não atingem 50% e estudos recentes identificam relacionamentos casuais longos, com parceiros bem conhecidos, numa variedade de manifestações de intimidade emocional e sexual. Pode a baixa utilização do preservativo ser explicada pelo facto de os relacionamentos casuais serem mais longos? Como e em que condições podem experiências variáveis em dimensões emocionais e de familiaridade entre os parceiros afectar o não uso do preservativo nestes relacionamentos? As respostas abrem uma nova perspectiva de análise do comportamento sexual que está por fazer. A questão essencial é então a da existência de mais semelhanças do que diferenças nas características de alguns relacionamentos casuais e regulares que dificulta o uso do preservativo. As implicações sócio-emocionais do carácter híbrido dos relacionamentos casuais têm sido estudadas, mas não o seu impacto na protecção sexual. É objectivo principal do CRUSh aprofundar a diversidade de relacionamentos casuais entre adultos emergentes (18-29 anos), suas características relacionais e uso do preservativo, enquadrado pela teoria dos guiões. Considera-se que este estudo contribui para: clarificar a pequena diferença no uso do preservativo entre relacionamentos casuais e regulares; uma nova explicação dos níveis similares de uso do preservativo baseada em semelhanças entre relacionamentos casuais e regulares e; a teoria dos guiões, através do papel do contexto e das características individuais na distinção entre guiões. Pretende contribuir-se para intervenções cientificamente robustas a fim de aumentar a proporção de indivíduos que refere usar preservativo em relacionamentos ocasionais, inscrito no Programa Nacional para a Prevenção e Controlo do VIH/Sida.

A investigação tem discriminado tipos de relacionamentos casuais, eixos para a sua caracterização, diferenças de género, preditores e associação à saúde mental. Como resultado deste estádio exploratório e correlacional da investigação, as comparações para determinar o uso do preservativo resultantes de disparidades entre os vários relacionamentos casuais e semelhanças com os regulares, em estudos qualitativos e quantitativos, com desenhos longitudinais e experimentais, estão por realizar. Assim como o estudo dos mediadores do uso do preservativo nos diversos relacionamentos casuais e estudos observacionais mais detalhados para análise desta protecção nas transições entre estatutos relacionais. Esta é a estratégia proposta para atingir os objectivos, organizada em onze estudos, para os quais a complementaridade da equipa em comportamentos sexuais e métodos de investigação contribui.

 

Estatuto: 
Entidade participante
Financiado: 
Sim
Entidades: 
Fundação para a Ciência e Tecnologia
Rede: 
Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa, Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa
Keywords: 

Relacionamentos casuais, Uso do preservativo, Teoria dos scripts, Transições

O uso do preservativo diminui à medida que o relacionamento passa de novo/casual a regular. As explicações enfatizam o papel da longevidade do relacionamento no aumento da intimidade e confiança entre os parceiros. Contudo, as taxas de uso do preservativo nos relacionamentos casuais não atingem 50% e estudos recentes identificam relacionamentos casuais longos, com parceiros bem conhecidos, numa variedade de manifestações de intimidade emocional e sexual. Pode a baixa utilização do preservativo ser explicada pelo facto de os relacionamentos casuais serem mais longos? Como e em que condições podem experiências variáveis em dimensões emocionais e de familiaridade entre os parceiros afectar o não uso do preservativo nestes relacionamentos? As respostas abrem uma nova perspectiva de análise do comportamento sexual que está por fazer. A questão essencial é então a da existência de mais semelhanças do que diferenças nas características de alguns relacionamentos casuais e regulares que dificulta o uso do preservativo. As implicações sócio-emocionais do carácter híbrido dos relacionamentos casuais têm sido estudadas, mas não o seu impacto na protecção sexual. É objectivo principal do CRUSh aprofundar a diversidade de relacionamentos casuais entre adultos emergentes (18-29 anos), suas características relacionais e uso do preservativo, enquadrado pela teoria dos guiões. Considera-se que este estudo contribui para: clarificar a pequena diferença no uso do preservativo entre relacionamentos casuais e regulares; uma nova explicação dos níveis similares de uso do preservativo baseada em semelhanças entre relacionamentos casuais e regulares e; a teoria dos guiões, através do papel do contexto e das características individuais na distinção entre guiões. Pretende contribuir-se para intervenções cientificamente robustas a fim de aumentar a proporção de indivíduos que refere usar preservativo em relacionamentos ocasionais, inscrito no Programa Nacional para a Prevenção e Controlo do VIH/Sida.

A investigação tem discriminado tipos de relacionamentos casuais, eixos para a sua caracterização, diferenças de género, preditores e associação à saúde mental. Como resultado deste estádio exploratório e correlacional da investigação, as comparações para determinar o uso do preservativo resultantes de disparidades entre os vários relacionamentos casuais e semelhanças com os regulares, em estudos qualitativos e quantitativos, com desenhos longitudinais e experimentais, estão por realizar. Assim como o estudo dos mediadores do uso do preservativo nos diversos relacionamentos casuais e estudos observacionais mais detalhados para análise desta protecção nas transições entre estatutos relacionais. Esta é a estratégia proposta para atingir os objectivos, organizada em onze estudos, para os quais a complementaridade da equipa em comportamentos sexuais e métodos de investigação contribui.

 

Objectivos: 
We set out to a) conduct an in-depth analysis of the potential multiple forms casual relationships take nowadays, and their distinctive relationship characteristics, including condom use, b) unveil the mechanisms associated with its use by disentangling these relational features among casual relationships, and c) ascertain casual contexts of greater vulnerability for STIs by tracking intra and inter-participants’ variations among the characteristics of the relationship, condom use, and relationship status. As secondary objectives we aim to d) inspect the mediating role of relationship characteristics in condom use between casual and regular relationships, ascertain the e) prevalence of these relationships, and f) the sexual behavior characteristics of emerging adults. The study will contribute towards further understanding the psychological motives behind condom use in the various casual relationships, and to creating preventive interventions that are sensitive to the different characteristics of these encounters, with a view to increasing their efficacy.
Parceria: 
Rede Nacional

CRUSh

Coordenador 
Data Inicio: 
01/10/2018
Data Fim: 
30/09/2021
Em curso