Constelações de memória: um estudo multidirecional da migração e memória pós-colonial

Constelações de memória: um estudo multidirecional da migração e memória pós-colonial

Esta proposta interessa-se pelas intersecções entre memória, migração e pós-colonialismo. A desintegração dos impérios coloniais europeus causou um grande movimento de pessoas (ex-colonizadores assim como ex-colonizados), do antigo mundo colonial para a Europa (EMM&MÖR1992). Como consequência, as classificações político-jurídicas de cidadania e as definições simbólicas de identidade dos estados-nação pós-imperiais europeus mudaram. Enquanto comunidades nacionais eram re-imaginadas, frequentemente com base em representações memoriais que ainda colocavam o império no centro das definições das identidades nacionais (PER2017; ROT2015), a presença de negros e asiáticos tornou-se inseparável do que significa ser europeu. Tal teve várias implicações para o funcionamento e para a dinâmica de uma Europa multicultural e para o estatuto dos sujeitos pós-coloniais dentro das suas fronteiras (LAS&DEP&PES2020).

Concretamente, este Projeto dedica-se ao estudo das CONSTELAÇÕES DE MEMÓRIA criadas pelas migrações (livres ou forçadas) que acompanharam o fim dos impérios coloniais europeus e o mundo pós-colonial criado em consequência. A investigação situa-se numa geografia partilhada da memória – a do Portugal pós-colonial – e está ancorada em bairros da classe trabalhadora habitados por diferentes subgrupos de populações pós-coloniais. Serão considerados dois grupos distintos de migrantes pós-coloniais, de forma a avaliar a conexão das memórias pós(coloniais): 1) os antigos colonos portugueses (Retornados); 2) os imigrantes oriundos das ex-colónias portuguesas. CONSTELAÇÕES considera que ambos os grupos, retornados e imigrantes das ex-colónias portuguesas, ocupam um espaço partilhado, marcado por uma experiência de perturbação criada pelas relações coloniais. Alinhada com o conceito de MEMÓRIA MULTIDIRECIONAL (ROT2009), esta investigação questiona que novas constelações de lembranças são produzidas através do encontro desigual entre estes dois grupos. Focar-se-á nas histórias destes migrantes pós-coloniais e considerará as suas trajetórias migratórias, as suas memórias e identidades, assim como as suas inter-relações e redes transnacionais, tendo como pano de fundo os seus ambientes socioculturais particulares, os regimes mais amplos de memória que moldam suas experiências, e o cenário atual da crise global. Este Projeto é inovador ao sugerir uma abordagem sistémica, multidimensional e empiricamente fundamentada ao estudo da memória e das migrações pós-coloniais. Através de cruzamentos múltiplos entre grupos diferentes de migrantes pós-coloniais, contribuirá para superar uma lacuna teórica que emerge da tendência à homogeneização da diferença cultural e racial. Ademais, a investigação articula a classe social com a raça, a etnicidade e a cultura como fatores fundamentais não apenas na estruturação das histórias dos migrantes, mas também nas disputas em torno da memória colonial presentes na Europa contemporânea. A METODOLOGIA do projeto combinará: 1) entrevistas em profundidade; 2) etnografias de millieux de memória; 3) uma etnografia digital dos média sociais; 4) uma análise sociocultural de narrativas e debates sobre a memória pós-colonial. A pesquisa de terreno será realizada na margem sul da área suburbana de Lisboa, no bairro do Vale da Amoreira, habitado, após 1975, por ambos retornados e imigrantes das ex-colónias portuguesas. Os RESULTADOS do projeto combinarão formatos académicos convencionais com a produção de materiais de comunicação. Para além de vários capítulos de livros e de artigos em revistas científicas, serão organizadas dois livros coletivos e um volume especial. Será orientada uma tese de doutoramento sobre Etnografia Digital, e serão organizados dois workshops e uma conferência. A estratégia de divulgação do Projeto inclui uma exposição temporária e um documentário. Baseado numa agenda multidimensional, situada na intersecção da Antropologia, da História, dos Estudos de Memória e dos Estudos Pós-coloniais, a INTER E TRANS-DISCIPLINARIDADE está no centro deste Projeto, visando desenvolver novas abordagens transversais das Humanidades e das Ciências Sociais.

A parceria entre o CEC e o ICS reforça esta estratégia de investigação. Assim, CONSTELLATIONS reúne uma equipa internacional de nove investigadores, com formação em antropologia, história, estudos da comunicação e estudos culturais. Os membros do quadro consultivo também vêm de disciplinas diferentes: Sharon Macdonald e Benoit de L’Estoile (Antropologia), Rui Pena Pires (Sociologia) and Elizabeth Buettner (História).

 

Estatuto: 
Entidade participante
Financiado: 
Sim
Entidades: 
Fundação para a Ciência e Tecnologia
Rede: 
Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (FLUL)
Keywords: 

Migração Pós-colonial, memória multidirecional, legados coloniais, império colonial português

Esta proposta interessa-se pelas intersecções entre memória, migração e pós-colonialismo. A desintegração dos impérios coloniais europeus causou um grande movimento de pessoas (ex-colonizadores assim como ex-colonizados), do antigo mundo colonial para a Europa (EMM&MÖR1992). Como consequência, as classificações político-jurídicas de cidadania e as definições simbólicas de identidade dos estados-nação pós-imperiais europeus mudaram. Enquanto comunidades nacionais eram re-imaginadas, frequentemente com base em representações memoriais que ainda colocavam o império no centro das definições das identidades nacionais (PER2017; ROT2015), a presença de negros e asiáticos tornou-se inseparável do que significa ser europeu. Tal teve várias implicações para o funcionamento e para a dinâmica de uma Europa multicultural e para o estatuto dos sujeitos pós-coloniais dentro das suas fronteiras (LAS&DEP&PES2020).

Concretamente, este Projeto dedica-se ao estudo das CONSTELAÇÕES DE MEMÓRIA criadas pelas migrações (livres ou forçadas) que acompanharam o fim dos impérios coloniais europeus e o mundo pós-colonial criado em consequência. A investigação situa-se numa geografia partilhada da memória – a do Portugal pós-colonial – e está ancorada em bairros da classe trabalhadora habitados por diferentes subgrupos de populações pós-coloniais. Serão considerados dois grupos distintos de migrantes pós-coloniais, de forma a avaliar a conexão das memórias pós(coloniais): 1) os antigos colonos portugueses (Retornados); 2) os imigrantes oriundos das ex-colónias portuguesas. CONSTELAÇÕES considera que ambos os grupos, retornados e imigrantes das ex-colónias portuguesas, ocupam um espaço partilhado, marcado por uma experiência de perturbação criada pelas relações coloniais. Alinhada com o conceito de MEMÓRIA MULTIDIRECIONAL (ROT2009), esta investigação questiona que novas constelações de lembranças são produzidas através do encontro desigual entre estes dois grupos. Focar-se-á nas histórias destes migrantes pós-coloniais e considerará as suas trajetórias migratórias, as suas memórias e identidades, assim como as suas inter-relações e redes transnacionais, tendo como pano de fundo os seus ambientes socioculturais particulares, os regimes mais amplos de memória que moldam suas experiências, e o cenário atual da crise global. Este Projeto é inovador ao sugerir uma abordagem sistémica, multidimensional e empiricamente fundamentada ao estudo da memória e das migrações pós-coloniais. Através de cruzamentos múltiplos entre grupos diferentes de migrantes pós-coloniais, contribuirá para superar uma lacuna teórica que emerge da tendência à homogeneização da diferença cultural e racial. Ademais, a investigação articula a classe social com a raça, a etnicidade e a cultura como fatores fundamentais não apenas na estruturação das histórias dos migrantes, mas também nas disputas em torno da memória colonial presentes na Europa contemporânea. A METODOLOGIA do projeto combinará: 1) entrevistas em profundidade; 2) etnografias de millieux de memória; 3) uma etnografia digital dos média sociais; 4) uma análise sociocultural de narrativas e debates sobre a memória pós-colonial. A pesquisa de terreno será realizada na margem sul da área suburbana de Lisboa, no bairro do Vale da Amoreira, habitado, após 1975, por ambos retornados e imigrantes das ex-colónias portuguesas. Os RESULTADOS do projeto combinarão formatos académicos convencionais com a produção de materiais de comunicação. Para além de vários capítulos de livros e de artigos em revistas científicas, serão organizadas dois livros coletivos e um volume especial. Será orientada uma tese de doutoramento sobre Etnografia Digital, e serão organizados dois workshops e uma conferência. A estratégia de divulgação do Projeto inclui uma exposição temporária e um documentário. Baseado numa agenda multidimensional, situada na intersecção da Antropologia, da História, dos Estudos de Memória e dos Estudos Pós-coloniais, a INTER E TRANS-DISCIPLINARIDADE está no centro deste Projeto, visando desenvolver novas abordagens transversais das Humanidades e das Ciências Sociais.

A parceria entre o CEC e o ICS reforça esta estratégia de investigação. Assim, CONSTELLATIONS reúne uma equipa internacional de nove investigadores, com formação em antropologia, história, estudos da comunicação e estudos culturais. Os membros do quadro consultivo também vêm de disciplinas diferentes: Sharon Macdonald e Benoit de L’Estoile (Antropologia), Rui Pena Pires (Sociologia) and Elizabeth Buettner (História).

 

Observações: 
CONSTELLATIONS é financiado por fundos nacionais através da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., no âmbito do projeto “PTDC/SOC-ANT/4292/2021”
Parceria: 
Rede Nacional

CONSTELLATIONS

Coordenador Geral 
Elsa Peralta
Coordenador ICS 
Referência externa 
PTDC/SOC-ANT/4292/2021
Data Inicio: 
01/01/2022
Data Fim: 
31/12/2024
Duração: 
36 meses
Em curso