LIFE: Percursos de Vida, Desigualdades e Solidariedades: Práticas e Políticas

LIFE: Percursos de Vida, Desigualdades e Solidariedades: Práticas e Políticas

 

O GI LIFE tem como objectivo central analisar as relações complexas entre indivíduo e sociedade em contextos de mudança, globalização e modernidade. A pesquisa privilegia o estudo de velhas e novas formas de produção de desigualdades, solidariedades, percursos de vida e dinâmicas de individualização, procurando compreender o seu impacto na vida quotidiana, nos estilos de vida e nas trajectórias dos indivíduos. As abordagens teóricas contemplam a acção e as estruturas sociais, combinando as perspectivas histórica e sociológica, e debruçam-se sobre a realidade portuguesa, europeia e transnacional contemporâneas.

A pesquisa centra-se na regulação pública destas dinâmicas, assim como nas práticas dos actores sociais e dos colectivos informais que influenciam e moldam a vida dos indivíduos: as redes sociais, as famílias, as culturas organizacionais, as associações, as escolas, as populações migrantes e outras minorias sociais, os grupos profissionais. Em consequência destas linhas de questionamento, é dada uma atenção especial aos grupos sociais mais vulneráveis ou discriminados como as crianças, os jovens, os idosos, as mulheres, os imigrantes, os desempregados, e as minorias étnicas e sexuais. Os impactos recentes das dinâmicas demográficas, da crise económica e do recuo do Estado-Providência na sociedade portuguesa constituem um desafio adicional para a investigação.

O GI tem cinco àreas principais de investigação. A sociologia é a principal disciplina científica, mas a investigação também abrange de forma sistemática outras disciplinas como a demografia, a antropologia, a história, a ciência política, a psicologia social e o estudo das políticas públicas. Utilizam-se metodologias quantitativas e qualitativas e combinam-se pesquisas de âmbito nacional e comparativo internacional.

1) A transformação do percurso de vida: regimes do percurso de vida; transições e trajectórias de vida; gerações e género; acumulação de vantagens e desvantagens no percurso de vida; redes sociais e relações pessoais ao longo da vida;

2) Famílias, jovens e crianças: pluralização das formas familiares; conciliação família-trabalho; maternidade e paternidade; evolução da fecundidade, do casamento e do divórcio; conjugalidade e divisões de género no trabalho pago e não pago; famílias, pobreza e a reprodução das desigualdades; mobilidade e famílias transnacionais; crianças e uso da internet; identidades e culturas juvenis; educação, formação e aprendizagem; experiência escolar, escolhas vocacionais e transições para o mercado de trabalho; consumo e lazeres juvenis; evolução das políticas de família, de género e de educação;

3) Envelhecimento, saúde e bem-estar: saúde, doença e dependência; representações e práticas de saúde; prevenção e promoção da saúde; atitudes e acesso desigual ao sistema de saúde e aos cuidados médicos; comportamentos sexuais, saúde e bem-estar; envelhecimento demográfico, sistemas de cuidados e Estado-Providência; envelhecimento e pensões; envelhecimento, turismo e bem-estar; género, saúde e políticas públicas;

4) Género, corpo e sexualidade: género, sexualidade e discriminação das minorias sexuais; corpo e sexualidades; cidadania í;ntima; sexualidade, género e direitos; repertórios sexuais; sexualidade e mudança social; sexualidade e media;

5) Culturas, media e estilos de vida: condições sociais e desigualdades nas práticas culturais; o papel dos media na construção social dos valores e das identidades; a revolução digital e o seu impacto na cultura e nos grupos profissionais; desigualdades no uso dos media e da internet; vozes dissidentes nos media e o seu impacto nas políticas públicas; políticas de promoção de acesso à cultura.

Os investigadores do LIFE coordenam e participam em projectos de investigação financiados por entidades públicas e privadas, nacionais e internacionais.

A investigação encontra-se solidamente ancorada em questões de políticas públicas e em actividades de extensão e divulgação científica. Os membros do GI colaboram no diálogo ciência-sociedade através de três Observatórios: 

IE Observatório-Instituto do Envelhecimento

OPJ Observatório Permanente da Juventude

OFAP Observatório das Famílias e das Políticas de Família

Os membros do GI participam activamente no Programa Doutoral Inter-Universitário em Sociologia: o Conhecimento para Sociedades Abertas e Inclusivas.

Para seguir as atividades do GI LIFE, siga o BLOG LIFE Research Group e a nossa página de Faceboo

Sónia Cardoso
Tatiana Matos de Jesus Ferreira
Rita Correia
Luís Manso
Seminários GI
LIFE: Percursos de Vida, Desigualdades e Solidariedades: Práticas e Políticas
Qua . 11 Abr . 11h00 a 13h00
Sala 2
David Primo
Seminários GI
LIFE: Percursos de Vida, Desigualdades e Solidariedades: Práticas e Políticas
Qua . 18 Abr . 11h00 a 13h00
Sala 2
Sofia Marinho
Seminários GI
LIFE: Percursos de Vida, Desigualdades e Solidariedades: Práticas e Políticas
Qua . 2 Maio . 11h00
Sala 2
Miriam Leite
Seminários GI
LIFE: Percursos de Vida, Desigualdades e Solidariedades: Práticas e Políticas
Qua . 9 Maio . 11h00
Sala 2
Mafalda Duarte Leitão
Seminários GI
Identidades, Culturas, Vulnerabilidades
LIFE: Percursos de Vida, Desigualdades e Solidariedades: Práticas e Políticas
Qua . 30 Maio . 11h00
Sala 3
Alvaro Jarrín
Outros
LIFE: Percursos de Vida, Desigualdades e Solidariedades: Práticas e Políticas
Dom . 15 Jul h (Todo o dia)
Seminários GI
LIFE: Percursos de Vida, Desigualdades e Solidariedades: Práticas e Políticas
Qua . 6 Jun . 11h00
Sala 2
Vanessa Cunha, Leonor Bettencourt, Rita Correia e Susana Atalaia
Seminários GI
LIFE: Percursos de Vida, Desigualdades e Solidariedades: Práticas e Políticas
Seg . 11 Jun . 14h30
Sala 3
Miriam Leite, Valéria Floriano, Celecina Sales
Seminários GI
LIFE: Percursos de Vida, Desigualdades e Solidariedades: Práticas e Políticas
Qua . 27 Jun . 11h00
Sala 2
Davide Angelucci
Coordenação